domingo, 20 de maio de 2018

Os Kurandeiros - 20/5/2018 - Domingo / 18 Horas - Feira da Vila Pompeia - São Paulo / SP


Os Kurandeiros

20 de maio de 2018  -  Domingo  -  18 Horas

31ª Feira de Artes da Vila Pompeia

Entrada Gratuita

Rua Tucuna com Rua Padre Chico
Vila Pompeia
São Paulo - SP

Os Kurandeiros :
Kim Kehl : Guitarra e Voz
Carlinhos Machado : Bateria e Voz
Luiz Domingues : Baixo 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Patrulha do Espaço - 19/5/2018 - Sábado / 18 Horas - Virada Cultural de São Paulo - Palco Avenida Ipiranga / Edifício Copan - São Paulo / SP

Patrulha do Espaço

19 de maio de 2018 - Sábado - 23 Horas

Virada Cultural de São Paulo

Palco Avenida Ipiranga / Edifício Copan
Centro - Estação República do Metrô
São Paulo - SP

Entrada Gratuita

Patrulha do Espaço :
Rolando Castello Junior : Bateria
Marcello Schevano : Guitarra, Teclados e Voz
Rodrigo Hid : Guitarra, Teclados e Voz
Marta Benévolo : Voz
Luiz Domingues : Baixo e Voz

sábado, 12 de maio de 2018

Dívida de Gratidão - Por Telma Jábali Barretto

Quem não tem uma dessas...?!...
Aquela coisa, situação, atenção ou carinho a nós dispensado que não tem preço, como agradecer, retribuir e, principalmente, esquecer ?
Dessas situações o maior valor está em termos sido merecedores de tamanha delicadeza e, claro, para que tal fato acontecesse, que tivemos / tenhamos a convivência com gente desse quilate de alma, essa espécie de generosidade que chega a nos emocionar !
Perceber um cuidado requer, às vezes, sensibilidade...nem todos, infelizmente, temos essa percepção e quantas vezes sentimos falta dessa sutileza e, consequentemente, dessa gratidão. Algumas pessoas tem mesmo essa dificuldade de atentar para pequenos mimos recebidos...e, mais difícil será, então, que ofereça...
E, quanto iluminam nossa vida esses acontecimentos... muitos só detalhes, cobertores, aquecedores do coração merecê-los como, de maneira igual e maior até, sermos os protagonistas doadores dessa atenção, por ter o que oferecer, compartilhar...

Abrimos com isso um canal, meio de fluxo e trânsito que é possível aprender com a sensibilização dos sentidos, certo tato estimulando desde os mais básicos, trazendo uma nova e mais rica troca de experiência entre doações e ganhos. Só sabendo reconhecer tais toques, saberemos ser capazes de ofertar e...se não sendo, no convívio e contato com esses bonitos gestos, sempre e quando feitos com espontaneidade, desinteressadamente, com pureza de intenção, poderão inspirar e, melhor e, ainda,  inspirar, aprender e até chegar a exercitar... Qualquer contato pode e é transmissor e receptor de conhecimento, quer estejamos ou não conscientes... Valorizando isso, mais evidentes serão !
Primeiros reconhecimentos desse tão grandioso sentimento que é a gratidão, quando a nós é endereçada uma gentileza  e sabemos percebê-la, já resulta numa boa infusão de boas energias  para nós, quando recebedores, e igual para quem a praticou...mas pensamos ser preciso expandir esse olhar grato. Mais coisas, belezas somos, o tempo todo agraciados, se atentarmos à visão, escuta aos contatos, à natureza, ao pulsar do que nos rodeia ... e só mesmo apurando, adestrando esse novo olhar para sentir essa infindável gratuidade que somos cercados, continuamente. Crescimento eterno nesse processo acontece quando entendemos, temos esses insights iluminadores tornando-nos perceptíveis, acessando como esse fluxo alimenta, ao nosso redor, tudo e todos, ininterruptamente, numa espécie de magnanimidade da própria Vida ! Quanta harmonia, então, somos e seremos testemunhos, fiéis depositários, fios condutores de satisfação, alegria, fortalecedores e provocadores de estados internos de abundância, aquela que não compramos, só adquirimos dentro de nós, pelo mesmo reconhecimento de ali e dali sabermos extrair o verdadeiro néctar nutridor, transformador, capacitador de autonomia, e, como tal, também, doador de tudo que de fato nos sustenta, provedor da panaceia e alimento saciador de nossas verdadeiras fomes! genealogia divina ! Na mas tê, na mas tê, na mas tê !!!
 
Telma Jábali Barretto é colunista fixa do Blog Luiz Domingues 2. Engenheira Civil, é também uma experiente astróloga, consultora para harmonização de ambientes e instrutora de Suddha Raja Yoga. Nesta reflexão, ela explana sobre a questão do sentimento da dívida de gratidão, que acumulamos ao longo da vida, sob inúmeras circunstâncias.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Patrulha do Espaço - 11/5/2018 - Sexta--Feira / 21 Horas - Sesc Pompeia - São Paulo / SP

Patrulha do Espaço

11 de maio de 2018  -  Sexta-Feira  -  21 Horas


Comemoração pelos 40 anos de existência da gravadora Baratos Afins 

Sesc Pompeia
Rua Clélia, 93 - Vila Pompeia
Estação Barra Funda / Palmeiras do Metrô

Participação Especial : Santuário

Patrulha do Espaço :
Rolando Castello Junior : Bateria
Rodrigo Hid : Guitarra e Voz
Marta Benévolo - Voz
Luiz Domingues - Baixo e Voz


sexta-feira, 4 de maio de 2018

Bébé Et La Musique - Por Luiz Domingues


Na primeira aula de um curso bem básico de iniciação musical infantil, um conceito um tanto quanto abstrato define o que é o assunto ali abordado e ensinado : “Música é a combinação agradável de sons, a unir melodia; harmonia & ritmo”. É o começo do entendimento do que realmente faz com que apreciemos a tal combinação dos pilares citados no aforismo clássico da teoria musical, mas a percepção de que os sons chamavam a nossa atenção, veio lá de trás, desde o começo de vida, quando ainda recém nascido, os sons percebidos ao redor, foram um importante meio para começar a interagir com o mundo.



Tirante as vozes humanas e os ruídos provocados pelos objetos em geral que cercam-nos no berço, a primeira e agradável percepção musical concreta com a qual lidamos, é o cantarolar do humano que lida diretamente conosco, a manipular-nos a fim de auxiliar-nos nas nossas necessidades básicas e geralmente é a mamãe. Percebemos então que aquela forma de comunicação é diferente dos demais ruídos emitidos pelos humanos adultos, a revelar-se algo mais agradável, doce, transmitindo uma ternura que obviamente não conseguimos entender adequadamente, mas causa-nos a sensação de tranquilidade  e consequente paz para mantermo-nos calmos no berço. À medida que crescemos mais um pouco e nossa percepção sofistica-se a cada dia, notamos que não são apenas os cânticos vocais diretos, mas a tal “agradável combinação de sons” soa pela casa. Música ecoa pelo ambiente caseiro e mesmo sem entender como e porque elas surgem e cessam, o importante é que a nossa percepção aguça-se com tal fenômeno e assim, está feita a conexão do pequeno humano em desenvolvimento, com a música e salvo raras exceções e tirante as pessoas com deficiências auditivas, essa conexão do bebê com a tal da “música” firma-se para todo o sempre.


Claro, nem toda canção agrada e levemos em consideração que volumes excessivos, mesmo quando da execução de uma música que apreciamos, pode incomodar e convenhamos, bebês geralmente irritam-se com a sensação de zoeira no ambiente, muito provavelmente por uma questão de medo, a interpretar o barulho em excesso como tensão e consequentemente isso deve gerar medo.
Mas no cômputo geral, claro que música é um recurso educacional muito salutar e fora todas as implicações motoras que os sons exercem no desenvolvimento, há também o aspecto energético com a profusão de notas musicais que geram vibrações positivas e também o início do processo de educação e estímulo cultural inerente, a usar-se o recurso da memória afetiva que forja-se e a depender do caso, tais primeiras melodias ouvidas e decoradas pelo bebê, tornam-se elementos afetivos que podem acompanhar a vida de uma pessoa, até a velhice e morte. Portanto, a contrariar o aforismo da teoria musical, música é muito mais que a agradável combinação de melodia; harmonia & ritmo.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Os Kurandeiros - 4/5/2018 - Sexta-Feira / 21 Hs. - Santa Sede Rock Bar - Tucuruvi / São Paulo / SP

Os Kurandeiros 

Lançamento do single da canção "Andando na Praia"

4 de maio de 2018 - Sexta-Feira - 21 Hs.
Entrada Gratuita

Santa Sede Rock Bar
Avenida Luiz Dumont Villares, 2104
Tucuruvi
200 metros da estação Parada Inglesa do Metrô
São Paulo - SP

Os Kurandeiros :
Kim Kehl - Guitarra e Voz
Carlinhos Machado - Bateria e Voz
Luiz Domingues - Baixo

sábado, 14 de abril de 2018

Sedução - Por Telma Jábali Barretto

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQj2dg-wvGlntv9LGVBfoV0IVkD9ER4dKc-xcOZmoNFbmm6gVju8w

Quase sempre pensamos em sedução como coisa de casal, mas... o tempo, Mestre Kala, Saturno, tem nos ensinado que não se resume a isso...
Muitos, muitos mesmo são os motivos para seduzir e bem mais são as razões que movem as pessoas sedutoras e aquelas serem seduzidas. Quase sempre um estranho exercício de poder, algo a testar as próprias habilidades usando qualquer forma de encanto em que o domínio sobre o outro é produtor de prazer.
Normalmente, quando se desenvolve essa forma de fascínio, ao início, o testar foi mesmo na forma mais básica, numa condição do a dois, seja nessa ou em outra anterior ‘encadernação’ qualquer, em que nos tenhamos posto à prova e bons resultados tenhamos lembrança, por isso mesmo podemos cair à mercê do pessoal enredo, levando-nos aos mais interessantes e extravagantes propósitos de autoteste, numa escala crescente de desafios, trazendo ganhos mais ‘relevantes’ ao curriculum...
Autoteste é sempre bem-vindo ! Alinha nossa auto-estima, mas...levando em conta o cuidado com o outro. Alteridade !!!
Se o magnetismo pessoal é natural, vem de dentro, numa aura propiciadora de calma, conhecimento ou qualquer  outra qualidade ao próximo, flui uma espécie de pacto de proximidade benfazeja, contato a ser, também, naturalmente, usufruído, gerador de ganho para todos, desde de uma relação a dois até e nas muitas e outras convivências que participamos de trabalho, amizade ou grupos com os quais permutamos, de maneira enriquecedora.


No contexto mais pessoal, somos quase sempre mais atentos pois, por ali, nossa vulnerabilidade aparece mais pronta também, conscientes do quanto nos ameaça e desvenda... Já nos coletivos, costumamos ser mais inocentes, porque não nos vacinamos, totalmente, quanto aos salvadores, omnipotentes, doadores daquilo que esperamos gratuitamente, via suas generosas mãos!?...Um lado nosso infantil, ainda, adora promessas miraculosas, mantenedoras dessa mesma infância irresponsável ! E, quanto mais românticos somos nisso, mais presas fáceis nos tornamos, abdicando do critério num conforto do piloto automático para continuar não assumindo o próprio leme, até onde nos caiba. Somos serenas e ingênuas presas de barganhas via  auto-estima pouco conhecedoras de nós mesmos: qualquer elogio enleva, qualquer crítica destrói. Não sabemos quem somos e acreditamos no que dizem de nós...?!... com ou sem fundamento!?...

Há que se saber si !!! Encantar-se e preocupar-se por aquilo que nossa bússola interna sinalize! E, mesmo e quando nos engane, respeitar a dor do engano ou a passageira conquista e com ambos crescer, aprender e, mais ainda, apreender! Numa atitude de maturidade de quem enxerga a vida além dos pares ‘de’ opostos, contra e a favor, bom e ruim, mas floresce em meio as experiências percebendo nelas todas oportunidades de conhecimento, conscientização e contínuo despertar. E... que no fascínio, aí sim, pelas próprias descobertas, estimule a outros a desvendarem-se !



Telma Jábali Barretto é colunista fixa do Blog Luiz Domingues 2. Engenheira civil por formação acadêmica, é também uma experiente astróloga; instrutora para harmonização de ambientes e instrutora de Suddha Raja Yoga. Nesta reflexão, fala sobre o tema da sedução, mas sob aspectos bem mais profundos do que geralmente tal assunto costuma despertar na percepção superficial das pessoas.