quarta-feira, 19 de julho de 2017

Autobiografia na Música / Atualizações - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 52 - Por Luiz Domingues

A predisposição da banda já estava voltada para a gravação do EP, o primeiro disco de fato, com minha participação na formação e claro que estávamos todos animados com tal perspectiva e eu em particular pela minha expectativa pessoal em ter um registro de minha estada nesse trabalho e somando mais uma realização na somatória da carreira inteira.

Todavia, concomitantemente, a agenda da banda estava apontando atividades e isso também era fator de alegria. No início de junho, eu ainda tinha certos incômodos decorrentes de minha terceira cirurgia, mas estava em condições de levar uma vida quase normal, só estando mesmo proibido em fazer esforços físicos mais pesados, mas ok, apesar de gostar do trabalho braçal, não faria a loucura de ser carrier de um enorme backline e / ou P.A. e assim, contando com "With Little Help From My Friends" e inclusive estando sob vigilância dos colegas que sabiam que eu gostava de ser útil ao máximo em tais tarefas, mas simplesmente não podia, eles já prometiam não deixar-me exagerar nos meu arroubos...
OK, pelo menos estando em condições de fazer as apresentações em pé e podendo até ter uma mise en scené mínima que fosse, já dava-me por satisfeito e como já falei anteriormente, depois do que passei, valorizo cada segundo a mais que tenho tido e poder estar num palco fazendo um show de Rock, já é um verdadeiro bônus em minha existência
Palco dos Kurandeiros montado no Santa Sede Rock Bar, noite de 3 de junho de 2016. Foto : Lara Pap

Nesses termos, antes mesmo de começarmos a gravar o novo álbum dos Kurandeiros, voltamos à simpática casa noturna, "Santa Sede Rock Bar, um reduto rocker e hippie, raro nos dias atuais, encravado no Tucuruvi, zona norte de São Paulo. Era o dia 6 de junho de 2016, e o trio primordial atuou como de costume, após o último show ter sido com a dita "Full Band", ou seja, contando com três membros sazonais, mas considerados fixos, em show realizado na Feira da Pompeia, conforme já relatei anteriormente. E assim foi uma noitada boa, como geralmente ocorre no estabelecimento onde tantas vezes já havíamos apresentado-nos anteriormente.
Da esquerda para a direita : Kim Kehl; Carlinhos Machado na bateria e Luiz Domingues, no Santa Sede Rock Bar em 3 de junho de 2016. Foto : Lara Pap

Após essa apresentação, a próxima jornada da banda ocorreu em outra casa onde já havíamos tocado bastante, antes, igualmente. Tratou-se da "Casa Amarela", da cidade de Osasco / SP e nossas experiências pregressas ali sempre foram boas, portanto, fomos animados para para uma noitada de Blues; Baladas e Rock'n Roll.
O Power Trio base dos Kurandeiros em ação na "Casa Amarela", de Osasco / SP, em 21 de julho de 2016.  Foto : Lara Pap

Sob frio intenso, a noitada foi ótima e nessa altura dos acontecimentos, já tocávamos as três músicas novas que fariam parte do EP que começaríamos a gravar em questão de poucos dias. Portanto, nada melhor que uma noite fria de inverno para tocar a balada ultra "seventies", "Faz Frio"...
Dois dias depois e voltamos ao Santa Sede Rock Bar, onde a noitada foi igualmente animada. Sob clima de gravação do disco, fizemos a apresentação com muita volúpia rocker, e valeu como um último apronto para entrarmos em estúdio a seguir.
Kim Kehl em rara foto usando Fender Stratocaster branca, e Luiz Domingues atacando com Precision, igualmente branco, não foi proposital, mas combinou ! Os Kurandeiros no Santa Sede Rock Bar, em 23 de julho de 2016. Foto : Rogério Utrila

Passado esse show no Santa Sede Rock Bar, finalmente chegara a hora, estávamos agendados para usar as dependências do estúdio Curumim, de São Paulo...

Continua...

domingo, 16 de julho de 2017

Autobiografia na Música / Atualizações - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 51 - Por Luiz Domingues

A próxima atividade dos Kurandeiros estava marcada ainda para maio de 2016. A participação na tradicional Feira da Vila Pompeia, que nesse ano celebraria a sua 29ª edição, não era nenhuma novidade para a banda. Pelo contrário, na história dos Kurandeiros, somavam-se diversas participações e no que concerne-me diretamente, participei na edição de 2013 como componente, mas também já havia tocado com outros trabalhos anteriores na minha carreira, no caso com a Patrulha do Espaço em 2001, e com o Pedra em 2006 & 2008.

A experiência com Os Kurandeiros em 2013, não havia sido boa, no entanto, conforme já relatei em capítulo anterior, acompanhando a cronologia dos fatos. Vários desmandos da parte da produção, haviam perpetrado situações à nossa revelia, como por exemplo a inclusão súbita de um grupo folclórico da Turquia, gastando o nosso tempo para apresentação, além do equipamento e sobretudo a sua operação, ter sido um desastre nesse dia. Dessa forma, quando o Kim comunicou-me que desta feita estávamos escalados para o "Palco Rock", sabia de antemão que as condições seriam melhores, incluso a presença de uma multidão na audiência, uma tradição nesse palco da Feira, mas por outro lado, temi pela inevitável sessão de maus tratos da parte de técnicos e produtores estressados, também uma constante nesse específico palco.
Uma panorâmica do "Palco Rock" da tradicional Feira da Vila Pompeia em São Paulo, com Os Kurandeiros em ação, no dia 15 de maio de 2016. Da esquerda para a direita : Nelson Ferraresso aos teclados; Luiz Domingues; Kim Kehl; Carlinhos Machado na bateria (encoberto); Renata "Tata" Martinelli e Phil Rendeiro. Foto : Toni Estrella

Contudo, meus temores recônditos não confirmaram-se, pois tudo deu certo nesse show. Organização e pontualidade respeitadas; som bem legal de PA e backline, e também bem operado pelos técnicos terceirizados pela Feira; compartilhamento com bandas amigas e significativas da cena Rock paulistana em voga (o bom "8080", dos amigos Chico e Claudio, tocaram antes de nós e de forma super agradável, diga-se de passagem.


Flagrantes dos Kurandeiros na Feira da Pompeia em 15 de maio de 2016. Primeira foto : O trio "núcleo duro" da banda : Luiz Domingues; Kim Kehl & Carlinhos Machado. Foto : Carlota Carlotinha. Segunda foto : Carlinhos Machado & Renata "Tata" Martinelli. Foto : Julio Cesar Andrade. Terceira foto : Kim Kehl em destaque. Foto : Leandro Almeida  

Mais que uma junção feliz da banda com o equipamento bom e sendo bem operado, o fato da banda atuar como sexteto, tendo os membros honorários e sazonais, evidentemente "encorpou" o som, sobremaneira. Phil Rendeiro é um bom guitarrista que tem o repertório base dos Kurandeiros na ponta da língua, portanto, quando ele toca, a base harmônica fica toda sedimentada para o Kim apenas preocupar-se em solar, além de fazer um backing vocals igualmente competente. 
O competente guitarrista, Phil Rendeiro, em ação com Os Kurandeiros. Feira da Vila Pompeia, 15 de maio de 2017. Foto : Juja Kehl 

Sobre Nelson Ferraresso, já falei várias vezes o quanto admiro-o pela sua categoria e bom gosto como tecladista. Fora ser um sujeito excepcional, é sempre um enorme prazer quando ele toca conosco e infelizmente isso é raro dada a vida atribulada que tem como empresário, isso sem contar que sua empresa além de ser dinâmica no mercado, tem como campo de atuação, uma agenda nobre, pois fabrica artefatos de apoio para a sustentação de crianças com dificuldades motoras e/ou paralisia cerebral, portanto, graças aos seus esforços, muitas crianças tem a chance de melhorar a condição de vida, o que eu acho magnífico enquanto ação ação de alta cidadania consciente. Como músico, Nelson é extremamente competente e tem tantas participações como músico convidado em discos de diversos artistas de várias vertentes do Rock; Blues; Pop & Reggae, que seu curriculum impressiona, com uma discografia gigantesca.

O fantástico Nelson Ferraresso, tecladista da pesada; gente boa ao extremo e empresário do bem. Foto : Juja Kehl. Feira da Vila Pompéia em 15 de maio de 2016, com Os Kurandeiros

E com a voz da incrível Renata "Tata" Martinelli, tudo fica mais intenso, sempre. Dona da de uma voz potente, muito afinada, fora seu carisma e presença de palco, isso por si só já bastaria, mas a "Tata" é também uma amiga daquelas cujo convívio e prosa agradável, sempre queremos ter por perto.

Renata "Tata" Martinelli, atuando com Os Kurandeiros na Feira da Vila Pompeia, em 15 de maio de 2017. Foto de Juja Kehl.

Mas teve um elemento a mais nessa apresentação dos Kurandeiros na 29ª edição da Feira da Vila Pompeia e que só tratou de coroar a jornada feliz da banda, tratando-se da presença de um bom público e muito melhor, estabelecendo uma sincronicidade excelente. Com o público respondendo com energia, a performance foi muito agradável, sem dúvida alguma. Eis abaixo um especial com os melhores momentos dessa apresentação, numa filmagem do casal de fotógrafos e film-makers, Bolívia & Cátia :

Eis o link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=waKc9sGtA08 

Satisfeitos pela tarde Rock agradável na Vila Pompeia, a banda tinha agendado para breve, mais uma apresentação na casa de espetáculos, Santa Sede Rock Bar, mas a conversação sobre a iminência de gravar um novo disco, estava dominando a atenção. Nessa altura, já era certo tratar-se de um "EP" com três músicas novas que o Kim havia composto e que enviou-nos por E-mail para ouvirmos e fazermos cada um seu arranjo pessoal.

Respectivamente : Carlinhos Machado; Kim Kehl & Luiz Domingues. Os Kurandeiros na Feira da Vila Pompeia, em 15 de maio de 2016. Fotos : Juja Kehl

Continua... 

sábado, 8 de julho de 2017

Tenacidade - Por Telma Jábali Barretto

Como entender tal capacidade? Ou defeito?!... Por um lado total resolução, fibra inquebrantável, por outro, margeia a teimosia, quem sabe até dureza.


Fato é que quando funcionando no seu melhor aspecto, essa competência, se adquirida, passeia por a tudo resistir diante de determinada causa, sobre uma espécie de coragem aliada a perseverança... e, dessas duas outras qualidades, coragem e perseverança, associadas a essa atribuição também são quase sempre raras ! Ainda vale questionar que em seu uso...,no caso da coragem, quanta passagem não cria para atropelos e grosserias, bem como a perseverança, conforme vivida, encosta no apego, dificulta o deixar ir para que o novo respire/inspire...

Tal como a tenacidade, algumas circunstâncias outras, criam esse desconforto da dificuldade para estabelecer limite entre o apropriado, justo, certo?!... ou mesmo aquilo que produzirá a experiência desejada, como propiciadora de ganho, conquista e, até onde, talvez, estejamos teimando, sendo resolutos numa medida similar à turronice ?!...


Pensamos que todos já passamos, vivemos tais ‘saias justas’, muitas vezes sem discernir até onde estamos sendo tenazes ou inflexíveis...

Provável que o limite ‘real’, na medida de cada um,  envolva algo desafiador, aquilo que nos empurra a transpor medos e que, assim, chegamos a questionar se não é mesmo por aí, onde o processo de desenvolvimento acontece, quase que como uma abençoada armadilha que, só após, aceitamos como bem-vinda a nos testar, ensinar num convincente jogo de esconde-esconde, detector de nossos pares de opostos, mostrando, revelando, desvendando quem somos, tangenciando extremos lusco-fusco, fazendo vir à tona algo de nossa sombra/luz, transitando entre heroísmo corajoso e intransigência dessa que é hoje suposta, conhecida como fragilidade...

E, em meio a essa incrível batalha interna, quando essa disposição guerreira ascende, uma posse nova é adquirida e também, presumimos, sutilezas outras ficam estabelecidas, criando ganhos que abdicam antigas seguranças para um apoderar-se de outras e em diferentes formatos... como a Vida, em sua sabedoria, não cansa de nos convidar !!! E que haja tenacidade suficiente para não desistir dos próprios sonhos, de si, da humanidade...

Telma Jábali Barretto é colunista fixa do Blog Luiz Domingues 2. Engenheira civil, é também uma experiente astróloga, consultora para harmonização de ambientes e instrutora de Suddha Raja Yoga. Nesta reflexão, fala-nos sobre a tenacidade, essa força interior que faz com que não desistamos de nossas metas, jamais.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Os Kurandeiros - 8/7/2017 - Sábado / 16:00 Horas - Rockers Self Garage - Saúde - São Paulo / SP

Os Kurandeiros

8 de julho de 2017 

Sábado - 16:00 Horas

Rockers Self Garage

Rua General Chagas Santos, 607  -  Bairro da Saúde

Estação Saúde do Metrô

Os Kurandeiros :
Kim Kehl : Guitarra e Voz
Carlinhos Machado : Bateria e Voz
Luiz Domingues : Baixo