sábado, 2 de fevereiro de 2013

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Leandro) - Capítulo 26 - Por Luiz Domingues


Procurei na internet, mas não achei quase nada sobre o Leandro ou seu LP.

Apenas no no Blog do Língua de Trapo, existem citações de várias pessoas ao Leandro, e seu LP "Canto Livre"...

Vou colocar no entanto o link de uma citação feita pelo jornalista Ayrton Mugnaini Jr. em seu blog. 

É uma citação curta, pois realmente o trabalho do Leandro não vingou, infelizmente.

http://ayrtonmugnainijr.blogspot.com/2008_04_01_archive.html

Como considerações finais, cito :

 1) Claro, sou muito grato ao Leandro por ter me convidado a participar, e considero a minha primeira experiência em estúdio profissional, da qual tirei lições.

2) Claro !! O primeiro contato com um baixo Fender, foi algo inesperado e incrível.

3) Verdade...aprendi que num estúdio, estar preparado, nota por nota é muito importante. Ou ficar tão seguro que se sinta livre para improvisar, que é o meu caso hoje em dia. Chego no estúdio com um arranjo definido, nota por nota, mas muitas vezes improviso aqui e ali, e se gosto do resultado, deixo no disco.

4) O fone é fundamental...Já gravei com fones péssimos, por precariedade de certos estúdios, mas o ideal é ter uma equalização "ao dente", ou neste caso, "ao tímpano"...

5) Sim, tenho uma cópia desse LP na minha coleção, e com dedicatória do Leandro.


6) A minha foto na contracapa do álbum, foi tirada na sessão de gravação, e estou com o baixo Fender em mãos, e ostentando um bigode. Foi a primeira e única vez que deixei bigode, que não durou nem um mês, e calhou de ser nessa gravação registrada em fotos. E o cara da arte final pisou na bola, pois a minha foto saiu invertida. Na foto, pareço o Paul McCartney da época do Sgt° Peppers, com bigode, e tocando como canhoto...

7) Para ser sincero, entre frustração, satisfação ou realização, tive um pouco das três coisas...satisfeito por ter gravado um LP; num estúdio profissional; mas frustrado por ter sofrido, e tido uma performance não muito boa. Mesmo assim, considerei-me realizado na ocasião, pensando que estava numa situação "especial", que pouco tempo antes, era só um sonho.

8) Não fiquei pensando muito na gravação. Isso porque estava fazendo vários trabalhos paralelos naquela época, e nem tinha tempo para ficar elocubrando.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário