quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 224 - Por Luiz Domingues


A terceira ocorrência foi a seguinte :

Seguindo a orientação do Fausto Silva, fomos preparar o material e eu, pessoalmente, fui levá-lo à produção do programa "Perdidos na Noite", nas dependências da TV Record de São Paulo.


Nessa época, a TV Record ainda pertencia à família Machado de Carvalho, e apesar de estar decadente, ainda notava-se nos velhos estúdios da avenida Miruna, lembranças dos tempos gloriosos de outrora, através de fotos pelos murais etc etc.

Bem, reminiscências à parte, lá fui eu com disco, release e portfólio debaixo do braço. Fui recebido por uma produtora, cujo nome não me recordo, mas que era uma subordinada de Lucimara Parisi. 


Ela recolheu o material, e não demonstrou muito entusiasmo quando lhe disse que a banda havia participado de muitos programas "Balancê, da rádio Excelsior/Globo, tampouco impressionou-se quando lhe disse que o Fausto Silva em pessoa, havia me dado a dica para procurar a Lucimara etc etc.

Sua resposta, apesar de simpática, pareceu-me mecânica, com a afirmação de que "analisariam" o material, e nos dariam uma resposta em alguns dias, fornecendo então um número de telefone para nos dar o seu veredicto...

Passados alguns dias, ligamos para a produção, e uma "canseira" começou, com  postergações sistemáticas das produtoras, para nos dar uma resposta concreta.

Um dia, uma produtora nos deu uma resposta, enfim. 


Disse-nos que sentia muito, mas nós não seríamos convidados a nos apresentar no programa.

A resposta lacônica irritou-me, pois na minha concepção, a banda reunia totais condições de se apresentar. 

Quantas programas de TV já havíamos realizado até aquele ponto ? Inclusive tocando ao vivo, foram muitos, ora bolas...

Bem, claro que era um direito deles nos recusar, mas eu achava incompreensível o caráter lacônico com o qual a mocinha explicava a decisão de sua cúpula, e insisti para que ela me desse uma explicação melhor, mais plausível. 


Então, tive o impulso de pedir a devolução de material, meio de birra, pois um disco, e a cópia da papelada de portfólio, não nos faria falta, em realidade.

Fui portanto, à TV Record novamente, e ao apresentar-me na porta da sala onde várias pessoas trabalhavam, uma mocinha veio atender-me. 


Cobrei uma explicação melhor, e aí, tive que aturar a franqueza desconcertante e desagradável que tanto evitaram falar-me ao telefone, com ela dizendo-me : 

-"Sinto muito, mas o som da sua banda é uma BOSTA"...

Ha ha ha ...claro que cada um pensa o que quer, e artista é vitrine sujeito à pedradas, mas tal afirmativa me chocou, evidentemente.

Então, pedi-lhe o material, e ela entregou-me, mas faltava o disco dentro da capa vazia que entregara-me. 


Ela foi buscar o disco, e quando a vi tirando-o de uma vitrolinha portátil, vi que a rotação estava em 33 &1/3 !!

Claro que acharam uma "bosta", o som da banda, ouvindo-o na rotação errada... 


Argumentei isso de pronto com ela, mas mesmo assim, a decisão de veto para o programa estava mantida.

Uma pena, pois teria sido muito divertido participar, e de fato, estávamos acostumados a interagir com o Fausto Silva, por conta de nossas participações no programa Balancê, da rádio.

E quanto ao desaforo proferido de maneira injusta, só posso lamentar o fato de que na capa, não havia uma tarja chamativa alertando as pessoas sobre o fato do disco não rodar adequadamente na rotação usual de 33 & 1/3...

-"Sua banda é uma BOSTA"...dormi com a orelha quente depois dessa...ha ha ha !!



Continua... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário