terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Autobiografia na Música - Pitbulls on Crack - Capítulo 43 - Por Luiz Domingues

Então, logo após o show beneficente no Ginásio do Ibirapuera, patrocinado pelo Governo do Estado, tivemos um choque térmico e tanto. Em pouco mais de sete dias, tocamos para um reduzidíssimo público em detrimento das 12 mil pessoas do Ibirapuera. Foi um show realizado na casa de shows "Brittania" e com a presença das bandas "Mantra" e Yo-Ho-Delic.
O som do Mantra era um Heavy-Metal modernoso, com jeito de anos noventa, e a despeito de serem bons músicos, não empolgava ninguém, pela sua insipidez.
Mas o grande revés desse domingo, dia 1° de maio de 1994, foi que o Ayrton Senna faleceu nesse dia, pela manhã, disputando um GP na Itália, e o país caiu numa comoção total. Já o Yo-Ho-Delic cancelou participação em cima da hora e nem apareceu no local.
Dessa forma, 50 testemunhas foram ao Brittania para ver Pitbulls on Crack e Mantra, e pareciam mesmo mais interessadas em ver a cobertura do falecimento do piloto, pelos telões espalhados pela casa.
No dia 18 de maio de 1994, uma apresentação numa pequena casa noturna chamada "Noni-Noni", no bairro do Bexiga, também com um público de 50 pessoas. Era uma rara oportunidade em que uma banda autoral ali apresentava-se, pois tratava-se de um reduto tradicional de bandas cover.
E finalmente no final de maio, dois shows mais agitados, com a participação das bandas "Paty up" e "Velhas Virgens", num show triplo no "Garage Rock", de Pinheiros. 250 pessoas estiveram ali presentes no dia 27 de maio, e no dia seguinte, dia 28, melhor ainda com 360 pessoas. No início de junho (dia 4), tocamos no Centro Cultural Vergueiro, participando do projeto "Sintonia do Rock".


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário