segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Autobiografia na Música / Atualizações - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 71 - Por Luiz Domingues

Nossa próxima apresentação ao vivo foi num local inédito em nossa trajetória e inusitado, pelas suas instalações, sui generis, digamos assim. No entanto, não era a primeira vez que apresentar-nos-íamos num tipo de ambiente assim, não usual, e indo além, recentemente havíamos passado por experiência semelhante e cujas atuações (foram duas vezes nessa casa que cito, a "Cervejaria da Granja"), eu comentei anteriormente. Desta feita, a empreitada seria num espaço criado pelo mandatário de uma padaria, num bairro da zona leste de São Paulo (Jardim Brasília), que sendo um entusiasta de Rock e música em geral, construiu um palco no estacionamento de seu estabelecimento e denominado "Espaço Cultural Rock na Padoka", estava produzindo shows com bandas autorais do circuito underground, com regularidade. Ótimo, a ideia de haver um espaço assim com tal proposta dinâmica de produção aberta aos artistas outsiders do underground, por si só já mostrava-se muito animadora, mas ficou ainda melhor quando eu cheguei ao local, e sendo o primeiro da nossa banda a marcar presença, pude conversar bastante com o dono do estabelecimento, um rapaz apelidado como "Poia" e seu sócio no projeto, o divulgador e produtor musical, Marcos Paulo. Pude notar pelo entusiasmo de ambos, que a produção estava de vento em popa, e numa segunda observação de minha parte, fiquei surpreendido pela estrutura física que montaram, com um palco espaçoso, coberto, contendo um PA e iluminação e que diante de casas que produzem shows obrigando os artistas a levar tudo, até usina de força elétrica, realmente mostrava-se um alento.


No pré show, o nosso set a postos. Acervo e cortesia de Espaço Cultural Rock na Padoka. Click, acervo e cortesia : Marcos Paulo

Logo a seguir vi a aproximação do Carlinhos Machado e enquanto ajudava-o a descarregar seu automóvel, fui contando-lhe que estava impressionado pela estrutura, que era simples, mas funcional e que os mandatários da casa eram muito hospitaleiros. Encravado num bairro longínquo da imensa zona leste de São Paulo, não surpreendeu-me por outro lado, em nada, a questão da hospitalidade, pois sei de longa data que o calor humano advindo de comunidades mais simples da sociedade é sempre inversamente proporcional ao nariz empinado por parte de habitantes de bairros nobres da cidade (claro que eu sei que não pode-se generalizar nem por um lado, quanto do outro). Já anoitecia quando Kim Kehl e Lara Pap estacionaram seu carro. Montamos o equipamento e vimos com alegria que pessoas chegavam e ocupavam mesas. Não havia cobrança de ingresso ao público e a padaria obtinha seu lucro no intenso movimento ali construído. Ótimo, banda feliz, dirigentes idem, e um espaço Rock na cidade, democrático e gratuito a deixar o público também satisfeito. Fora o fato de que ali tornava-se um polo para uma região carente de oportunidades e sendo bastante distante do centro da cidade, era uma chance excelente para ter uma atividade cultural e ainda por cima, gratuita, com atrações toda sexta e sábado.

Luiz Domingues e o baixista superb, Fernando Tavares, que gentilmente veio prestigiar-nos no Espaço Cultural Rock na Padoka. Acervo e cortesia de Fernando Tavares. Click de sua esposa

Faltava pouco para iniciarmos nossa apresentação quando vejo a aproximação do baixista superb, Fernando Tavares , acompanhado de sua esposa. Fernando, fora ser um virtuose, é um professor celebrado e foi por dois anos, meu editor na revista Bass Player, onde colaborei e era à ele que enviava os meus textos brutos etc. Nessa fase envolvido com vários projetos (Banda "Apostrophe"; Medusa Trio e na banda base do ex-"Recordando o Vale das Maçãs", o tecladista Lee Recorda), Fernando veio prestigiar-nos e logo a seguir o guitarrista Adilson Oliveira que toca com ele na banda de Lee Recorda, apareceu, também. Figura igualmente sensacional, Adilson é um guitarrista virtuose e também ministra aulas, além de ser um dos produtores da Webradio Stay Rock Brazil.


Os Kurandeiros em ação no Espaço Cultural Rock na Padoka de São Paulo, em 2 de setembro de 2017. Clicks : 1) Fernando Silveira; 2) Marinho MTB; 3 e 4) Marcos Paulo

Nossa apresentação iniciou-se e infelizmente o PA da casa não segurou a nossa volúpia e assim, na terceira música o Kim pediu desculpas ao público, que já era muito bom nessa altura e paramos para instalar o PA da banda, que é pequeno, mas bem prático a atender nossa demanda primordial. Feito isso, fizemos três entradas com bastante qualidade e resposta boa do público. Tanto nas canções autorais, quanto nas releituras que tocamos, passeando pelo Rock e Blues internacional, tudo funcionou bem e até a seleção de baladas sessenta / setentistas, agradou em cheio aos mais veteranos ali presentes, arrancando assovios e impressionei-me em ver pessoas cantando conosco, sob certa comoção, eu diria.

"Caroline" (Status Quo), no Espaço Cultural Rock na Padoka, de São Paulo, em 2 de setembro de 2017

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=6tf1oN1tzeI


"Faz Frio" (Kim Kehl), no Espaço Cultural Rock na Padoka, de São Paulo, em 2 de setembro de 2017.

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=OMR2Gb77j3M

Os Kurandeiros em ação no Espaço Cultural Rock na Padoka, de São Paulo, em 2 de setembro de 2017. Foto1) Kim Kehl conversando com o público. Foto 2) A banda agradecendo ao público no final. E na foto 3, o simpático coprodutor do projeto, Marcos Paulo, ao lado de Kim Kehl. Acervo e cortesia de Espaço Cultural Rock na Padoka. Clicks de Poia

Em suma, foi uma ótima apresentação e que abriu caminho para novas investidas futuras nesse prazeroso espaço onde fomos muito bem tratados. Noite do dia 2 de setembro de 2017, com seguramente mais de 100 pessoas a assistir-nos.


Passado o show agradável no Espaço Cultural Rock na Padoka, voltamos a outro espaço que recentemente abrira suas portas para nós e mesmo sendo algo recente, já havíamos habituado-nos a tocar e ser muito bem tratados, igualmente. E lá estávamos nós no Rockers Self Garage, a bela garagem das motos, encravada no bairro da Saúde, zona sul de São Paulo. Desta feita, haveria uma festa na casa e portanto, uma perspectiva boa de haver um público mais numeroso.

Os Kurandeiros em ação no Rockers Self Garage de São Paulo, em 15 de setembro de 2017. Clicks : Foto 1) Lara Pap. Fotos 2 e 3) Regina de Fátima Galassi

E foi o que ocorreu, com um contingente maior e bem animado. Uma surpresa agradável, o amigo Victor D'Avilla apareceu acompanhado de sua esposa e filho, e foi agradabilíssimo poder conversar com ele, visto ser um apoiador de meus Blogs há muito tempo nas redes sociais da internet. Vocalista de uma banda de Heavy Metal, Victor é um rapaz culto, inteligentíssimo e muito bem articulado, portanto, a conversa foi muito boa, certamente.

"Close to You" (Burt Bacharach / Hal David), no Rockers Self Garage de São Paulo, em 15 de setembro de 2017. Filmagem de Regina de Fátima Galassi

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=Ri9jr1T7jqo 


"Superstar" (Leon Russell / Bonnie Bramlett), no Rockers Self Garage de São Paulo, em 15 de stembro de 2017. Filmagem de Regina de Fátima Galassi

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=myqqnFiFzGA

"Caroline" (Status Quo) (trecho), no Rockers Self Garage de São Paulo, em 15 de setembro de 2017. Filmagem de Regina de Fátima Galassi

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=oz1GRug4u_Q

"Born to Be Wild" (Steppenwolf), no Rockers Self Garage de São Paulo, em 15 de maio de 2017

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=oz1GRug4u_Q

Os Kurandeiros em ação no Rockers Self Garage de São Paulo, em 15 de setembro de 2017. Click, acervo e cortesia de Regina de Fátima Galassi
 
Noite de 15 de setembro de 2017, no Rockers Self Garage de São Paulo, com mais de 100 pessoas no recinto.


A próxima novidade, foi no campo discográfico. Uma coletânea contendo várias faixas inéditas, provenientes de formações anteriores e material da minha formação, incluso, estava pronta para ser lançada pelos Kurandeiros, oficialmente. Uma surpresa boa a reforçar a minha discografia e claro que animei-me muito quando o Kim anunciou seu plano de lançar tal compilação. Falo sobre isso no próximo capítulo.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário