quinta-feira, 19 de abril de 2012

Em um determinado Ponto - Por Julio Revoredo

Há um lugar onde a névoa confunde-se com o orvalho e a bagua

Onde a obscura e insuspeita mágoa, afoga-se

Aonde o erro, nasce em face ao que foi-se

Onde o lúdico prono, como aranha o inculto, tece.
Sim, há um lugar onde a bagua, o orvalho e a névoa, desaparecem

Onde o sol arrefece, e o mistério da vida desvanece no torpe umbral, do silêncio.




Julio Revoredo é poeta e letrista de várias músicas que compusemos em parceria, em três bandas em que toquei : A Chave do Sol, Sidharta e Patrulha do Espaço. É colunista fixo no meu Blog n° 2 e meu amigo desde 1982. 

2 comentários:

  1. Legal,gosto muito de poesia,belas palavras :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal, Kim ! O Julio é um poeta de muita profundidade. Conheço-o desde 1982 e além das parcerias como letrista em tantas músicas, tem muitas estórias dele a serem contadas na minha autobiografia.

      Excluir