terça-feira, 29 de agosto de 2017

Autobiografia na Música / Atualizações - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 57 - Por Luiz Domingues


Após a excelente participação na festa de aniversário da webradio, Stay Rock Brazil, voltamos no mesmo palco, o do Santa Sede Rock Bar, mas desta feita para um show regular dos Kurandeiros.
Tratamos tal ocasião como um show de lançamento do EP Seja Feliz, recém lançado naquela ocasião

Os Kurandeiros em ação no Santa Sede Rock Bar, em 5 de novembro de 2016. Fotos de Jani Santana Morales

Fizemos um show animado e devo registrar que foi a primeira vez que usei um baixo Rickenbacker numa apresentação dos Kurandeiros e a justificativa é bem lógica, pois a rigor sempre achei que os modelos tradicionais da Fender, Precision e Jazz Bass, são mais adequados às necessidades dos Kurandeiros, pela obviedade de ter seu estilo fortemente calcado no Blues Rock tradicional. No entanto, fiquei surpreendido como o tradicional som agressivo inspirado no médio-agudo que esse instrumento proporciona naturalmente, e este caiu muito bem na sonoridade da banda, portanto abrindo caminho para ser usado em outras apresentações no futuro.
Kim Kehl & Carlinhos Machado em destaque ! Os Kurandeiros em ação no Santa Sede Rock Bar, em 5 de novembro de 2016. Fotos de Jani Santana Morales

Convidados pela direção da casa a fazer mais uma data próxima, eis que no mês seguinte voltamos ao Santa Sede Rock Bar.

Digno de nota, o nosso amigo, Walter Possibom, que é um grande guitarrista e agitador cultural super entusiasmado e ativo, visitou-nos nesse show e nessa ocasião, estava colhendo os frutos do recém lançamento de seu romance, "Um Brilho nas Sombras", uma ficção muito bem escrita e tratando-se de uma "Rock Story", de fato, com personagens construídos em torno da ambientação Rocker setentista e recheado de referências muito bem colocadas, sobre tal universo. Não era no entanto seu primeiro livro publicado, pois sendo um médico legista proeminente e muito respeitado no seu meio, já havia lançado muitos livros acadêmicos sobre sua especialidade médica, mas agora comemorava seu debut como escritor ficcional, que além da música é outra de suas paixões pessoais. Tive o prazer de comparecer à sua tarde de autógrafos e após leitura prazerosa de sua obra, escrevi uma resenha no meu Blog 1. Eis abaixo o link para ler minha impressão sobre o livro :

http://luiz-domingues.blogspot.com.br/search?q=Um+Brilho+nas+Sombras 

Da esquerda para a direita : Carlinhos Machado; Kim Kehl & Luiz Domingues. Os Kurandeiros posando no pós show, no Santa Sede Rock Bar, dia 9 de dezembro de 2016. Foto : Pat Freire

Nesse encontro no Santa Sede Rock Bar, conversamos bastante sobre o seu romance e onde ele deu-me muitas dicas valiosas sobre o mercado editorial, e prontificou-se a auxiliar-me em relação aos preparativos do meu livro, na versão impressa, e que vem a ser a minha longa Autobiografia na Música, cujo este adendo aqui fica fora nessa primeira edição, mas poderá entrar numa segunda edição revista e aumentada ou simplesmente fazer parte de um segundo volume... e o futuro dirá qual caminho adotarei. O importante é que estou vivo e bem, como dizia o grande Johnny Winter, e o fato de estar escrevendo capítulos com atualizações, já comemoro e isso pode estender-se aos Kurandeiros, que estão na ativa, sempre trabalhando, sem perder tempo com "mimimi" de rede social, tampouco fazendo pose de "Rock Star", evitando colocar o pé na estrada ou como a "Maria Maluca", o pé na jaca...

"7 Anos" ao vivo no Santa Sede Rock Bar, em 5 de novembro de 2016

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=Rg1lcXNsrrc

"Sou Duro" ao vivo no Santa Sede Rock Bar, em 5 de novembro de 2016.

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=sk0SOZgZFPo

Trecho final de "O Filho do Vodu", ao vivo no Santa Sede Rock Bar, em 5 de novembro de 2016

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=Hr4ijDTYc0M 

Após o encerramento das atividades da Magnólia Blues Band em abril de 2016, e cuja banda base eram os próprios Kurandeiros, ficamos bastante tempo sem apresentações na casa de espetáculos, "Magnólia Villa Bar". E basta olhar os capítulos iniciais da minha história com Os Kurandeiros e mesmo independente da história da Magnólia Blues Band cuja história tem sua identidade própria, para o leitor recordar-se que Os Kurandeiros tinham uma tradição nesse estabelecimento. Portanto, foi com alegria que o revisitamos na noite de 16 de dezembro de 2016, sob certas precauções acústicas, visto que a casa ainda sofria com fiscais e um vizinho beligerante que não dava trégua...
Os Kurandeiros de volta ao Magnólia Villa Bar, em 16 de dezembro de 2016. Fotos de Jani Santana Morales

E assim, fizemos uma apresentação animada, contentes em rever os amigos da casa e tendo o prazer da participação do tecladista, Alexandre Rioli, o proprietário da casa, em algumas canções, revivendo também o quarteto da Magnólia Blues Band.
Os Kurandeiros em ação no Magnólia Villa Bar em 16 de dezembro de 2016. Clicks de Jani Santana Morales
Já no dia seguinte, tivemos um curioso show realizado dentro de uma feira artesanal ao ar livre, localizada numa aprazível praça pública no bairro do Brooklin, na zona sul de São Paulo. Fora um convite do guitarrista Geraldo Guimarães, o popular Gegê, integrante da boa banda, "Pompeia 72", especializada em releituras de clássicos do Rock setentista. Era para ser um show compartilhado entre as duas bandas, mas um problema súbito de saúde com um dos componentes do "Pompeia 72" resultou no cancelamento da participação deles e dessa forma, Gegê foi convidado pelo Kim a participar conosco e foi um prazer ter sua guitarra entre nós, certamente. Foi uma apresentação que começou dispersa, o que era normal dentro de uma feira ao ar livre e com as pessoas tendendo a não prestar atenção e encarar a nossa participação como mero lounge, mas aos poucos foi conquistando a audiência e chegou num ponto onde ficou até bem animado, com muitas pessoas dançando e aplaudindo. Claro, em se tratando de show ao ar livre, alguns mendigos apareceram, mas nada significativo, muito menos ameaçador e o que predominou ali foi um ambiente bem familiar, com uma tarde ensolarada, com a presença de muitas famílias com crianças, idosos e até bebês.
Uma foto clicada momentos antes da apresentação iniciar-se, com o técnico de som à direita, usando camiseta azul e Kim Kehl a esquerda, caminhando entre o backline da banda. Evento "Brooklin Trend", no bairro do Brooklin, zona sul de São Paulo, em 17 de dezembro de 2016. Foto : Lara Pap
Um curto vídeo mostrando Os Kurandeiros tocando um trecho da música, "Black Sabbath", da banda homônima, com a participação do guitarrista Geraldo "Gegê Guimarães como convidado especial da banda. Brooklin Trend, 17 de dezembro de 2016. 

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=eCfuAwx9t3I

Outro trecho da participação dos Kurandeiros no evento ao ar livre, "Brooklin Trend", em 17 de dezembro de 2016.

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=m5_ak-_CFkE

Então foi isso, uma boa apresentação ao ar livre no evento "Brooklin Trend", na Praça General Gentil Galvão, no bairro do Brooklin, zona sul de São Paulo, na tarde ensolarada de 17 de dezembro de 2016, com cerca de 100 pessoas assistindo em momento de pico de atenção, mas certamente com mais gente passeando pela feira ao longo da tarde / noite.

No dia seguinte, tínhamos o compromisso no Fofinho Rock Bar, levando adiante a ideia do evento permanente, "Sunday Rock". Desta feita, a banda convidada foi o "Mr. Huddy", com seu som pesado, calcado no Hard Rock oitentista, mas certamente tendo elementos setentistas agradáveis, ainda que sutis, nas suas canções autorais. Foi bem bacana o show dos rapazes e claro, sofrendo com as dificuldades inerentes ali instauradas, com uma espécie de "fogo amigo" em ação, por conta dos dois PA's dentro da casa, ensurdecedores e ininterruptos a concorrer com nossa apresentação e da banda convidada.
Dois flagrantes dos Kurandeiros no Fofinho Rock Bar, em 18 de dezembro de 2016. A banda em ação e abaixo, Carlinhos Machado na companhia de um grande amigo dos Kurandeiros, o professor Cesar Benatti, que vem a ser o diagramador e responsável pelo Lay out do meu livro impresso, "Quatro Décadas de Rock". Fotos : Lara Pap

Sofremos os mesmos problemas gerenciais e já relatados, em relação à primeira edição do projeto, e claro que reivindicamos melhorias. A casa prontificou-se a estudar melhorias, mas já alertando-nos que abrir mão do som mecânico ininterrupto ao promover pausas estratégicas intercaladas com nossas apresentações seria muito difícil de ser posta em prática, visto que seu público habitue estava acostumado com tal dinâmica há anos etc etc. Difícil pensar em prosseguir, com uma concorrência dupla dentro da própria casa, mas mesmo assim, resolvemos dar um voto de confiança em que atenuariam ao menos o volume dos dois PA's concorrentes, o que seria um alento, caso concretizado. E o fato de que mesmo diante de tanta insalubridade, o recado dado pela banda no palco era ofertado a quem dignava-se a nos assistir e na pior das hipóteses, isso fazia valer a pena o nosso esforço, sem dúvida.

Os Kurandeiros em fotos individuais no Fofinho Rock Bar, no dia 18 de dezembro de 2016. Clicks de Regina de Fátima Galassi

E assim encerramos o ano de 2016, com uma curiosa predisposição final que seguiu o padrão do começo do ano. Começamos no Templo Club com o "Sunday Blues" e encerramos o ano com projeto semelhante, o "Sunday Rock". desta feita na casa de espetáculos, Fofinho Rock Bar. 
Duck Strada, grande baterista e violonista / cantor e compositor Folk e Luiz Domingues. Fofinho Rock Bar, 18 de dezembro de 2016. Foto : Regina de Fátima Galassi


Não ficaram muito boas tais fotos, mas registram a confraternização pós show, no Fofinho Rock Bar, em 18 de dezembro de 2016. Na primeira, da esquerda para a primeira, Will Dissidente, que coincidentemente estava no local e é o idealizador do Blog "A Chave do Sol"; Luiz Domingues; Kim Kehl e respectivamente, o cantor e o guitarrista da banda "Mr. Huddy", Rildo Pedroso e Nuno Oliveira. Fotos : Lara Pap

Mas o ano fora marcado positivamente mesmo foi pelo lançamento de um novo álbum e contando com a formação da qual faço parte, coroando a minha passagem pela banda e quero crer, sendo o primeiro de muitos outros trabalhos no futuro. Que viesse 2017, que fôssemos felizes !

Continua... 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário