sábado, 2 de junho de 2012

O Brasileiro e o Livro - Por Marcelino Rodriguez

Dentre tantas as constatações que já fiz sobre a deficiência da educação no Brasil, a mais dramática é que o brasileiro não tem noção alguma da essência do livro. Ele sabe apenas que o livro é um objeto.

Ele não vê o livro como uma parte do espírito da vida, e uma das mais importantes, sem dúvida. O homem sem conhecimento e sem uma mínima cultura sabe pouco, pensa pouco, produz pouco e desperdiça muito.
O livro na verdade é a escova de dente do espírito, se me permitem a metáfora inusitada. Como escritor, evidente que essa ignorância consentida e essa indiferença em relação ao livro, doem mais.

Pude sentir na pele o desconhecimento da importância do livro por parte da população. Para o brasileiro médio, um livro não é algo diferente de um artesanato de madeira ou que um porta CD. É apenas um objeto sem substância viva de vida, para ele. Algo descartável.
Quem conhece pouco, valoriza pouco. O que está contido nos livros não são apenas palavras, mas espírito.

O que deve ser feito para se mudar essa cegueira absurda, que muito me estranha que mesmo muitos intelectuais não tocam no assunto ?

Em primeiro lugar, denunciar o crime. O país é um dos mais atrasados do mundo no quesito leitura, que bem poderia passar a ser uma matéria escolar. Por que não ? Se isso é barato e necessário ?
Com investimento na leitura na base educacional garanto que em duas décadas a economia do país e a qualidade de vida vão melhorar em no mínimo, trinta por cento. Teremos uma gente mais qualificada, com senso crítico, consciência, imaginação, maior empatia humana, mais responsabilidade e menos preguiça mental.

Com uma população nutrida de livros, a vida aqui deixará de ser uma mera luta pela sobrevivência para passar a ser alguma coisa mais interessante para todos. Como dizia tantos sábios, só há um bem, o conhecimento; só há um mal, a ignorância.
Uma população que não lê é uma população de ignorantes.

 
Marcelino Rodriguez é colunista fixo do
Blog Luiz Domingues 2. Escritor com vasta obra publicada, é um difusor cultural inflamado e inconformado com o fato do Brasil ser um dos piores países do mundo no ranking mundial de leitura. O livro é a grande ferramenta contra a ignorância, sem dúvida alguma. 

2 comentários:

  1. Muito bom o texto!

    Também não entendo porque apesar da maioria das pessoas no Brasil não ligarem pros livros, eles nem mesmo o compartilham depois de ler e guardam mágoas daqueles que pegam emprestado e não devolvem. Pra que, se ele mesmo nem valoriza? Antes um livro na mão de alguém que aprecie do que um conhecimento voando, podemos assim dizer!

    E quanto aos chamados intelectuais no Brasil, acho que a maioria deles estão mais preocupados com o próprio umbigo do que olhar para os lados e ver realmente o que está acontecendo! Como sempre, graças a Deus toda regra tem sua exceção!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto,concordo literalmente.

    ResponderExcluir