terça-feira, 17 de junho de 2014

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 9 - Por Luiz Domingues

No início de 2005, o Xando já movimentava-se para colocar a banda no rumo da gravação do primeiro CD. E o primeiro passo foi apresentar-nos ao Renato Carneiro, um excepcional técnico de som, e que gravara o Big Balls nos anos noventa, no estúdio Mosh.
O Renato trabalhava há muitos anos operando o som de duplas sertanejas famosas.  Havia trabalhado com Christian & Ralf, e naquele momento, estava há quase cinco anos com Zezé Di Camargo e Luciano.

Outra possibilidade muito boa, era de contar com o Renato Carneiro eventualmente também como técnico de som de nossos shows ao vivo. Começamos a sonhar com essa possibilidade e havia outra possibilidade ainda mais animadora que seria a de contar também com um outro técnico de alto nível, também chamado Renato, Renato Sprada para ser preciso. 
Também veterano, e com enorme experiência de sonorização ao vivo, foi técnico de som do Terço nos anos setenta, na fase dos LP's "Criaturas da Noite" e "Casa Encantada"; excursionou com Gonzaguinha no auge da carreira dele, incluso a turnê onde o grande Luiz Gonzaga, pai de Gonzaguinha, excursionou junto. Naquele momento de 2005, estava fixo com Fábio Jr.
Os dois Renatos, ambos magos dos botões... grandes técnicos de áudio ! De camiseta esverdeada, Renato Carneiro, e de preto, Renato Sprada. Início de 2005, em foto de Grace Lagôa

Com a volta dos ensaios, e o surgimento de mais músicas, estávamos fechando arranjos, e preparando-nos para a gravação.
O Rodrigo fazendo ótimas intervenções aos teclados, e Xando e Tadeu Dias, entendendo-se nas guitarras.
Notávamos, no entanto, que o baterista Alex Soares parecia economizar um pouco nos seus arranjos pessoais. Falávamos para ele ousar um pouco mais, mas ele alegava estar tentando padronizar sua bateria num patamar mais pop, propositalmente.
Foto de Grace Lagôa, da sessão de gravação do primeiro álbum do Pedra, início de 2005

Claro que o Pedra nasceu com a mentalidade de estar aberto ao pop, mas o Alex demonstrava ter outros parâmetros sobre o que deveria ser considerado algo comercial. E outro ponto que hoje é fácil de ser visualizado, mas era obscuro na época : o distanciamento que o guitarrista Tadeu Dias estava demonstrando. Faltava aos ensaios com frequência nesse período (início de 2005), alegando seus compromissos com o cantor Simoninha. De fato, havia viajado para a França com ele nessa época, mas logo voltara para o Brasil.
Essa súbita mudança de comportamento era incompreensível, contudo, pois nos primeiros ensaios, entre outubro e dezembro de 2004, ele comparecia com assiduidade e pontualidade. Mostrava-se animado nos ensaios, contribuindo com ideias, e esforçando-se para dar o melhor de si à banda.
Na sala de estar da residência do Xando Zupo em 2005, olhando fotos históricas da carreira de Grace Lagôa, e ainda com Tadeu Dias sorridente, e fazendo parte de nossa banda...

Era muito brincalhão, e fazia-nos rir de suas piadas e imitações etc etc. Portanto, não havia indícios de que estivesse insatisfeito, tampouco distante.

Mas logo no início de 2005, mudou de comportamento, bruscamente. No início, claro que não percebíamos isso. Uma primeira ausência deu-se por conta de sua viagem para Paris; outra vez, uma gravação de um especial do Simoninha para a MTV; seguido de constantes problemas alegados com o automóvel. Enfim, começaram a suceder-se faltas, mas atribuíamos isso aos compromissos dele com Simoninha, e a fatalidade de ter problemas com seu carro, coisa que pode ocorrer a qualquer pessoa.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário