domingo, 2 de dezembro de 2012

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Cintia) - Capítulo 16 - Por Luiz Domingues


O dono do salão, desesperado por ver o clima tenso com a saída dela repentina, e o publico enlouquecido, pediu-nos para tocar qualquer coisa, na esperança dos ânimos se acalmarem.

O Gereba, mesmo bêbado, foi esperto e puxou "I'm Goin' Home " do Ten Years After, que ele tocava à perfeição. Ele começou o solo, e eu e o Luis Bola fomos juntos, sem pestanejar. 


Temíamos que um Rock naquele lugar, e com aquele público, pudesse até piorar as coisas, mas os caras enlouqueceram completamente !
E aí fomos emendando Beatles; Led Zeppelin; Grand Funk, enfim, tudo o que eu e o Gereba tocávamos normalmente no Terra no Asfalto, incluso Novos Baianos, especialidade dele, Gereba, e salvamos a noite.

No final, o empresário veio nos pagar, já tendo esquecido todo o mal-estar, e dizendo que ela era temperamental, mas que nos chamaria outras vezes etc e tal.

E para ficar mais engraçado ainda : o dono do salão estava eufórico, e veio nos dizer que nos contraria para uma apresentação solo, pois fomos considerados a "melhor banda que já tocara ali"...

Bem, em se considerando o nível de músicos que ali tocavam, acho que ele tinha razão.

E para nos agradar, ofereceu comida e mais bebidas. 


Aí o Gereba capotou de vez, e algo mais bizarro aconteceria !!

Em sinal de "gratidão", ele disse ter arrumado "lindas garotas" para alegrar o nosso final de madrugada. 

Quando fomos ao camarim, com todo o respeito que todo o Ser Humano merece, realmente o conceito do cara sobre beleza feminina, era muito diferente do nosso.

Eu e o Luis Bola agradecemos, e alegando ter que voltar imediatamente para São Paulo, voamos para a Kombi !!!

Mas o Gereba, bêbado como estava, resolveu aceitar a "gentil oferta", e ficou com as três moças, com padrão de beleza aprovadas pelo dono do salão, digamos assim...

E dessa forma transcorreu meu segundo trabalho paralelo, realizado no dia 22 de abril de 1980, num salão cujo nome não me lembro e infelizmente não anotei, perante um público de aproximadamente 500 pessoas presentes.


Nunca mais acompanhamos a Cintia, depois dessa noite.

Essa história foi mesmo cabulosa...
Ela mataria o Gereba, esganando-o, se pudesse. Não sei o que foi pior : se o fato dele ter ficado bêbado; se errou demais as harmonias das músicas derrubando-a no show, perante o público; ou se pela paquera de baixo nível...

E sem dúvida, uma coisa que abomino como músico : tocar com bêbados ou Junkies. Essa história do Gereba não foi a primeira em que passei vergonha por conta de irresponsáveis.

Em relação à pressão do público, é verdade...os milicos só queriam se divertir.

Quanto às promessas do dono do salão, nunca retornamos. Não teria o menor cabimento agendar show numa espelunca obscura daquelas, com aquela ambientação brega de baixo nível.

Recusar as "beldades" ali presentes foi uma questão de sobrevivência...



Tocamos por uns 45 minutos, talvez um pouco mais, depois que o show da Cintia, encerrou-se prematuramente.

Voltamos voando para São Paulo com os instrumentos e equipamentos, eu, Luis Bola e o motorista da Kombi. 

O Gereba ficou por sua conta...

Acreditávamos que quando acordasse, de ressaca, e com aquelas mulheres ao seu redor...hum, nem queríamos pensar !!

E como agravante ainda estando em algum lugar de Carapicuíba, longe, mas muito longe de sua casa...


Deveria ter tomado dois ou três ônibus para voltar para a sua casa.

E a história ainda fica mais hilária se eu contar para vocês que o Gereba apareceu no dia seguinte, e feliz da vida...

Ele curtiu a noitada e não se arrependeu nem um pouquinho...



Não houve nenhuma brincadeira, pois o Gereba era um cara muito simples. Ele certamente não entenderia o teor de nossas brincadeiras, e poderia até se ofender.

E diante desse desfecho, convenci-me de que tem gosto para tudo neste mundo...


E para ilustrar essa história, achei um blog que tem uma matéria com a Cintia. Ela se tornou radialista há muitos anos.

http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:fXWbPC8XOhMJ:arquivostiosam.blogspot.com/2008/10/cynthia-compactos.html+Cintia+cantora+Deno+e+Dino&cd=4&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br


Encerrada essa etapa, no próximo capítulo de "Trabalhos Avulsos", vou contar uma história ainda mais hilária do que essa aventura brega, num salão de periferia.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário