terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Frater, frater no, con frater nizar... - Por Telma Jábali Barretto


Se frater significa irmão, con-frater-nizar supomos que seja a prática, o exercitar essa irmandade.

Algo bastante lembrado nesses dias de fim de ano...

Prestar atenção para nos lembrar de funcionarmos como irmãos...

Se bem racionalmente buscarmos essa raiz,
 devemos entender que uma mesma genealogia nos une... melhor...


Somos originários de um mesmo princípio, não importando que esse mesmo princípio possa ser uma divindade, a própria raiz da Vida em si, com todas as mais diversas bases filosóficas ou científicas...e, sabemos, não é mesmo aí que mora o perigo,
mas, no próprio exercício dessa vivência como irmãos.

Como sempre, não no discurso, mas nas atitudes!

Funcionar a partir daquela simples e máxima frase antiga, de família:
 "os dedos das mãos não são iguais"...
já diziam nossos pais, avós..., e quanta verdade nisso!!!


Não é nosso igual que devemos ‘amar’, ‘respeitar’ e‘ re-conhecer’,
 e, sim, exatamente o diferente, aquele que testa nossa individualidade, com todas as suas incoerências e absolutos que adquirirão sua própria
importância e/ou falência na proximidade e convivência,
sem que ninguém traia as suas sagradas verdades, deixando e deixando-se
florescer em sua singularidade... e quão difícil ser único!!!
... mais difícil ainda ser único e irmão!
Queremos ser e amar aquilo que é aceito, tem sucesso e nos parece feliz...


E não há fórmula de sucesso ou felicidade, nem mesmo, ou ainda,
 cartilha de vida... Cabe a cada um, achar seu caminho, passo e
brilho próprio, burilado nas suas dores de lapidação que,
imaginamos?!..., ainda que remotamente,
 sejam similares às do nosso irmão,
no seu, também, exercício de ser único em suas conquistas e batalhas.

Aí... começamos a funcionar com liberdade e respeito,
em irmandade. 

Aí, sim, amamos o outro, o próximo como a nós mesmos,
e a fonte originária que me permite tal florescer gratificante,
 longe dos conflitos e diferenças intrínsecas que vencemos em nós mesmos.

Conhecemos o desafio desse mesmo florescer que, em nós enfrentamos, corajosamente, respeitando o mesmo pulsar que desafia nosso,
então, frater,  fra terno , irmão!
... e que haja Paz e Atitude para SER,
em cada jornada, em cada família, nos convívios e
na comum Unidade!!!

Na mas tê



 Telma Jábali Barretto é colunista fixa do Blog Luiz Domingues 2. Engenheira civil, é também uma experiente astróloga, consultora para harmonização de ambientes e instrutora de Suddha Raja Yoga. Nesta matéria, discursa sobre a questão da fraternidade.

5 comentários:

  1. Minha irmã de Alma, enfoque muito Bom do que é ser frater!
    Admiro muito você!
    Na Mas Tê!
    Sonia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Muito obrigado por ler, apoiar e comentar, Sonia !

      Em nome do Blog, agradeço por sua participação que muito me alegra e certamente serve de grande incentivo para que a Telma prossiga firme como colunista de grande valor, que ela é.

      Na Mas Tê !

      Luiz Domingues

      Excluir
  2. Respostas
    1. Fiquei muito contente por saber que gostou da coluna da Telma, amiga Lourdes !

      Obrigado por ler, comentar e elogiar !

      Excluir