domingo, 8 de março de 2015

Autobiografia na Música - Sala de Aulas - Capítulo 37 - Por Luiz Domingues


Na mesma época, março de 1992, entrou uma aluna que também tinha bastante vontade de aprender.
 
Não tinha o perfil da maioria, que era de adolescentes, se tratando de uma mulher adulta e casada. Chamava-se : Monica Maia.
Nelson Maia Netto à esquerda, o senhor ao lado não sei dizer quem seja, mas provavelmente é um jurista, como ele

Rapidamente fizemos amizade, e logo conheci o seu marido, Nelson Maia Jr., advogado, e também na minha faixa etária de 32 anos de idade naquela época.

Também estabeleci amizade instantânea com ele, pois era um sujeito com conhecimento enciclopédico de música, rock em específico.

Colecionador de discos, sabia de cor a discografia de "trocentos" artistas do Rock; Blues; Jazz; MPB etc.

Muito culto e extremamente articulado, destoava da garotada, e rapidamente também virou uma espécie de ídolo deles, com seu português impecável, e portanto com o uso de um vocabulário inimaginável para eles.

Está certo que ele exagerava um pouco, mas era típica a sua verborragia de jurista, "Data Venia, Dr."...

Seu apelido na Galeria do Rock entre os lojistas, era "professor", pois realmente impressionava a sua cultura avantajada não só no quesito do Rock, mas em termos gerais.

Claro, ficamos amigos e era um prazer recepcioná-lo, quando costumava chegar com a Monica, assistindo a aula dela, e muitas vezes emendando nas aulas de outros alunos, esticando o papo prazeroso comigo e com os demais.

Claro, na maior parte do tempo o assunto era o Rock, e com sua bagagem enciclopédica, o assunto ia longe.

Mais para a frente, falo sobre ele e Monica em outras circunstâncias das aulas, pois convivemos juntos por quatro anos, praticamente.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário