domingo, 6 de janeiro de 2013

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Leandro) - Capítulo 20 - Por Luiz Domingues


Em maio de 1980, o guitarrista Lizoel Costa convidou-me para mais um trabalho paralelo.

Diferente da zorra que foi a mini-temporada com o Zuraio, desta vez o objetivo era acompanharmos um cantor de MPB, que queria se apresentar ao vivo pela noite, e planejava gravar um LP solo, no final do ano.




Claro que aceitei, e imediatamente foram marcados ensaios na casa do Lizoel, no Jardim Bonfiglioli, próximo ao bairro do Butantã, zona oeste de São Paulo.

O cantor se chamava Leandro, e era um ex-bancário que sonhava ser artista. 

Num ato de loucura ou arrojo, como queiram, pediu as contas no banco onde trabalhava, e com essa boa reserva que recebeu, estava disposto a bancar um LP independente, e se lançar no mercado.

Abro um parênteses para explicar ao leitor que gravar um disco independente em 1980, era uma completa loucura. 

As gravadoras dominavam de tal forma o mercado, que no imaginário popular, só era considerado "artista", quem tivesse contrato com uma gravadora. Todos os demais, eram considerados "amadores".

E logo que começou a onda de artistas rebelados, se empenhando em lançar seus discos independentes, uma série de boatos correram, dando conta de que as gravadoras tomariam "providências jurídicas" para barrar os lançamentos independentes (como ? que atitude fascista desprezivelmente mesquinha !!).

Voltando a falar do Leandro, o repertório inicial ensaiado era uma mescla de covers da MPB, e canções que provavelmente seriam lançadas no seu futuro LP.



Ele era municiado por uma série de jovens compositores, incluso Guca Mastrodomênico e Carlos Mello, compositores do pré-Língua naquela fase, e do Língua de Trapo oficial posteriormente, além de Sérgio Gama, futuro guitarrista do Língua, também.

Ensaiamos durante um mês aproximadamente, e enfim o Leandro arrumou um show-teste num bar chamado "Uma Janela para o Céu", que ficava no bairro da Bela Vista, o popular Bexiga, próximo ao centro de São Paulo. 

O objetivo era tocar um repertório curto, em 45 minutos, para a avaliação do dono da casa, mesclando covers de MPB, com algumas canções inéditas. 

E assim fomos tocar...

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário