terça-feira, 1 de janeiro de 2013

As Armas - Por Julio Revoredo


Ajuste e salto cosmopolitizante
Ensolarado antipovo, contos de demônio
Era um domingo pela manhã em 1969.
A floresta na floresta, espelho, advena
A temporada e os desafios
O fluxo dos refugiados
O simples encontro
Trupe chinesa de artes cênicas tomando o chá das cinco
As armas.



Julio Revoredo é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Poeta e letrista de diversas músicas que compusemos em parceria, em três bandas onde atuei : A Chave do Sol, Sidharta e Patrulha do Espaço. 

Neste poema, evoca imagens sessentistas instigantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário