terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 57 - Por Luiz Domingues


Enfim, além do cara ser só um "aspone" na engrenagem, e não ter nenhum poder de decisão, nós não tínhamos cacife para encarar tal empreitada, de forma alguma. 

Mesmo porque (hoje eu sei disso muito bem), para abrir um show internacional, se você não for minimamente conhecido, com músicas tocando nas rádios e aparecendo na TV, não tem a mínima chance.

Mesmo nessas condições, já é muito difícil entreter o público de um artista internacional, que deseja mais é que você não toque antes, preferencialmente... 


Mas, reconheço que o cara foi mesmo muito gente boa, pois realmente levou o material "simplezinho" que tínhamos, e na sequência, diante da negativa, nos brindou com vários ingressos para os shows do Kiss. 

Lembro-me do Rubens chegar no ensaio, com pelo menos 15 deles, em mãos.

O outro contato, foi para tentarmos uma vaga no Festival de Iacanga, cuja próxima edição se realizaria no carnaval de 1984, mas que obviamente já estavam recebendo materiais.
 

Levamos o nosso material no estúdio de ensaio da banda de baile, "Placa Luminosa", onde também funcionava o seu escritório de produção. Certamente que seria incrível sermos selecionados, pois era um festival de grande porte, com muitas estrelas da MPB, e do Rock se apresentando, e mesmo tocando em horários alternativos, antes das grandes estrelas, seria fantástico para nós.

Claro, nem resposta obtivemos, interpretando o silêncio como a  negativa...o que eu não imaginaria, é que tocaria nesse mesmo Festival, mas não com a Chave...
 

No capítulo do Língua de Trapo, já relatei com detalhes, sobre essa minha participação em Iacanga' 84.

E finalmente o terceiro contato, vingou !!


Um novo programa de TV, veiculado pela TV Cultura de São Paulo, começava a fazer barulho.

Chamava-se : A Fábrica do Som". 

Era um programa musical que abria espaço para artistas completamente desconhecidos se apresentarem, sem nenhuma restrição, e sem caráter de competição. Apenas eram apresentados como numa grande mostra, sem julgamentos.

Levamos nosso humilde material à produção do programa, na TV Cultura, e num dia de junho, recebemos o telefonema nos avisando da data em que participaríamos pela primeira vez !! 


O que não conseguíamos enxergar, era que esse telefonema mudaria a nossa vida, pois daí em diante, estávamos entrando numa nova e promissora fase da carreira da banda.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário