domingo, 6 de abril de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 116 - Por Luiz Domingues


A seguir, criamos a ideia do Edgard Pucinelli Filho entrar em cena de uma forma insólita : ele entraria enrolado dentro de um tapete, carregado por dois atores, e ao sair dele, declamaria o hermético poema inicial de Julio Revoredo. 

Quando insistimos nessa ideia, o Edgard criou um empecilho. Ele toparia a performance, desde que o poema fosse de sua autoria e não do Julio.

Nada contra a poesia dele, mas queríamos a sofisticação literária do Julio, e causar assim, uma sensação inusitada no show. 

Com muito custo, ele aceitou, mas quando realizamos ensaios da performance na casa do Rubens, ele titubeou, pois era incômodo, sem dúvida, deixar-se enrolar dentro de um tapete.

Dou-lhe o benefício desse incômodo, pois realmente nos ensaios dava para notar que não era muito tranquilo passar por essa experiência.


Nosso argumento, era dizer-lhe que seria um sacrifício de poucos segundos e que causaria um efeito cênico incrível, o que era verdade. 

E nesse aspecto, ele ponderou, pois a despeito da poesia ser seu carro chefe, ele gostava da performance e exercitava isso espontaneamente em todo show de Rock que ia, mesmo não fazendo parte da produção, mas apenas como parte do público.

Finalmente o convencemos a fazer a performance, e mediante ensaios realizados na casa do Rubens, com direito à sessões de gargalhadas inevitáveis, vimos que era um pouco chato para ele, mas funcionaria ao vivo.

Entre os "atores" amadores que convocamos para as performances, estavam "Celso"Esponja"; Claudio "Capetóide"; Daniel "Papel"; Iran, e o irmão do Claudio, cujo nome fugiu-me. 

Carlos Muniz Ventura, popular Carlão, participou das performances, mas também atuou ajudando na produção e tirando fotos do show.

E o Julio Revoredo, que além do suporte literário, topou participar, fazendo uma performance incrível, que descreverei quando falar do show, propriamente dito.

Julio Revoredo em 1984, em foto de seu acervo pessoal

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário