terça-feira, 16 de setembro de 2014

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 34 - Por Luiz Domingues


Foram três dias de gravações seguidas. Começávamos às 15:00 h. e esticávamos à exaustão, varando a madrugada. Enfim, conseguimos gravar todas as bases.

Baixo; bateria, e várias bases de guitarra e teclados, foram finalizadas nesses dias iniciais de trabalho.


E a ideia de fazer um show no meio do caminho, no mesmo espaço do Camerati, estava confirmada. Para tanto, na semana anterior, fizemos um agito de divulgação, pois na semana de gravações isso seria impossível. Claro, aproveitaríamos toda a estrutura do estúdio para gravar o show.  
Zoroastro Barany, popular "Zôro", e que pilotou os botões na gravação do CD Chronophagia

O técnico Zoroastro Barany, "Zôro", teve um trabalho insano, pois teve que esticar dúzias de cabos, com um multicabo enorme, ligando o mini palco do salão de shows, à sala da técnica do estúdio. 

Era uma distância razoável, pois, havia um quintal ajardinado no meio do caminho, com árvores e bancos, parecendo uma pracinha interiorana. 

E como o estúdio estava em processo de desmanche, o Zôro trabalhava sozinho. 

Algumas vezes aparecia um outro técnico lá, mas como visitante. Era o Daniel "Lanchinho". Ele era solícito, e quando aparecia, ajudava de forma altruísta, mas não era uma constante. Esse Daniel parecia mais experiente que o "Zôro", e houvera sido técnico do Camerati anteriormente, portanto, conhecia bem o estúdio, e seu equipamento.

Naquele momento, trabalhava em outro estúdio, mas vez por outra aparecia para acompanhar a nossa gravação, e dar sua ajuda. Ele tinha o apelido "Lanchinho", porque começou a sua carreira de técnico como office-boy do estúdio, e invariavelmente era designado para ir comprar lanche para os técnicos e artistas que ali trabalhavam, durante os anos de "vacas gordas" do estúdio, com grandes artistas ali gravando.

No dia do show/gravação ao vivo, ele apareceu, mas não chegou cedo, portanto, o trabalho pesado ficou mesmo para o Zôro. 


Ter que microfonar tudo foi uma loucura. E tivemos todo o trabalho de tirar o nosso equipamento de dentro do estúdio, e o deslocarmos para o salão do show...


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário