segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 21 - Por Luiz Domingues


Após essa boa estreia, confiantes e animados, prosseguimos ensaiando, agora sem a pressão inicial da estreia, e começando a criar algo já fora do material herdado do Sidharta.

Lembro que ainda em agosto, o Marcello nos disse que estava com algumas ideias para um tema progressivo, cheio de partes.


Marcello Schevano no ensaio da Patrulha do Espaço no estúdio do Paulo "P.A. Pagni, baterista do RPM, e onde a banda formatou a pré-produção do CD Chronophagia, ensaiando a partir de agosto de 1999

Começamos a trabalhar nesse tema, que deu sim, bastante trabalho, pois a cada trecho que nos mostrava, parávamos para arranjá-lo coletivamente. 
Rodrigo Hid pilotando os teclados desta vez, no estúdio do P.A.

Foi de fato a primeira música nova criada pela formação, sem contar a herança do Sidharta, como já salientei.

Recebeu o título de "Sendo o Tudo e o Nada", uma complexa suíte prog, bem influenciada pelo Yes, e bandas italianas como PFM e Banco, principalmente.

Mas a despeito dessa animação com o material estar ficando bom, após o show do Fofinho Rock Club, estávamos sem datas agendadas, e o Júnior que estava abatido pelo problema familiar que tivera recentemente, estava sem forças para movimentar-se nesse sentido. 


Somente alguns dias depois é que surgiu um convite, mas não era nada muito animador. 

Uma casa noturna localizada na Vila Prudente, zona leste de São Paulo, estava organizando um show ao ar livre, com um palco montado na sua rua. 

Era tudo legalizado e apoiado pela prefeitura, portanto com uma infra-estrutura razoável de som, palco decente etc. E abriu a possibilidade de agendar um show completo nas suas dependências, oferecendo bilheteria.

Como as coisas estavam difíceis, aceitamos tocar nesse micro-festival, gratuitamente, na esperança de podermos agendar um show remunerado, posteriormente.

E assim, tocamos na tarde de um domingo, dia 5 de setembro de 1999, em frente ao bar "Fuzzy's", na Vila Prudente, zona leste de São Paulo.


Lembro-me de haver cerca de 100 pessoas presentes apenas, apesar de ser gratuito, infelizmente. E a outra atração, foi "Os Ostras", uma banda que tinha certa fama na MTV, no final dos anos noventa.

Apesar de pouco público, o som no palco e no P.A. estava razoável. 

O show até que foi legal, com uma energia boa etc.

Na verdade, foi um "show de choque". Damos esse nome para shows curtos, e inseridos num contexto de vários artistas se apresentando sucessivamente no mesmo palco, num evento só. 


Lembro de apesar de ser um show curto, tocamos músicas de teclados também, como Sexy Sua, e Sunshine. 

Digno de nota, também teve o "Big Balls" de Xando Zupo, que nessa época só tocava covers. Lembro-me deles tocando Deep Purple, por exemplo, além de outras bandas de garotos, irrelevantes num contexto maior da música.

E o show dentro na casa, nunca aconteceu...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário