quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 50 - Por Luiz Domingues


Não deu para descansarmos muito, pois a viagem seria longa, e o objetivo era chegar no período da tarde na cidade de Londrina, a fim de fazer o Soundcheck, com relativa tranquilidade. 

A viagem foi boa, mas o ânimo dentro do micro-ônibus estava comprometido pelo cansaço. Sem o clima de euforia do dia anterior, onde fizemos o percurso São Paulo-Avaré e ríamos das aventuras junkies de Cheech & Chong, agora a maioria queria dormir ou "bodear".
Resenha do álbum Chronophagia no Fanzine Matéria Prima, de Londrina-PR

Nesse aspecto, a viagem foi tranquila, mas a ida à Londrina  revelaria-se uma aventura cheia de aspectos dramáticos e alguns cômicos, que descreverei. 

Para início de conversa, tratava-se de um show dentro de um festival denominado "Mutantes Fest". 

A ideia era a Patrulha ser o show principal, e bandas locais fazerem as apresentações de abertura. No contrato que o Júnior assinou, o contratante  dizia que seria realizado num sítio ao ar livre, mas ainda estávamos na estrada e o contratante ligou, dizendo que chovera a noite inteira e ele resolvera transferir o festival para o salão de festas de um clube.


Resenha do álbum Chronophagia na Revista Rock Brigade, assinada pelo mega competente jornalista, Antonio Carlos Monteiro

Isso já era um tremendo mau indício, pois sinalizava que toda a infraestrutura prometida fora desmontada e remontada às pressas e pior, todo o esforço de divulgação jogado no ralo, com um lacônico cartaz colocado no portão de um sitio, dizendo que o festival fora transferido para um clube, era certamente a garantia de que nem 10% do público esperado, se deslocaria para o tal novo lugar improvisado.

Isso sem contar que por ser ao ar livre, havia a previsão de barracas de comidas, bebidas e souvenirs, estrutura de sanitários etc. 

Bem, pensamos : era uma fatalidade que todo produtor de shows passa ao arriscar shows ao ar livre e ser surpreendido por intempéries meteorológicas. É uma lástima, mas o risco é sempre enorme para quem produz shows assim.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário