quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 46 - Por Luiz Domingues


Arrumamos tudo e fizemos um bom soundcheck. 

Claro, num pequeno estúdio televisivo, não dava para tocar com a pressão sonora de um show de Rock, mas estava bem ajeitado para nós, com um som legal de monitores. 

Caprichamos no visual e aparatos, e isso despertou a atenção dos apresentadores, e de telespectadores que se manifestavam via chat de internet, já começando a ficar popular em 2000. 

O assunto em pauta na discussão com convidados, era "Política", e a banda interagiu com o Júnior sendo convidado a dar seu depoimento sobre a juventude nos anos 60 e 70, em relação ao momento político daquela época etc e tal. 

Tocamos "Tudo Vai Mudar", inicialmente, com grande desenvoltura. Estávamos super afiados, tocando  regularmente desde março de 1999, e acabáramos de gravar o CD Chronophagia, portanto em grande forma artística.

Abaixo, a performance de "Tudo Vai Mudar" :


Eis o Link para assistir no You Tube :

https://www.youtube.com/watch?v=BqhIC7KUdAs&feature=youtu.be

Foi uma excelente performance, com o trabalho soando coeso, com desenvoltura musical, e sobretudo, com a firmeza típica que se espera numa apresentação de TV, onde o recado tem que ser muito contundente.

Intercalando com a entrevista dos outros convidados, também fomos entrevistados. 

Claro, o assunto "origens da Patrulha + Arnaldo Baptista" veio à tona, com o Júnior tendo que lidar com essa pergunta inevitável e muitas vezes enfadonha, pois o foco era o trabalho atual saindo do forno, mas os pauteiros do jornalismo em geral só enxergavam a Patrulha, basicamente pelo viés do Arnaldo, e sua curta participação na banda, com apenas 8 meses entre 1977 e 1978.  

Paciência...esse foi um ônus que o Júnior sempre teve ao longo da carreira toda da Patrulha, e é um estigma difícil de se livrar. 

Abaixo, "Sunshine": 

A segunda música que tocamos, foi " Sunshine", com outra ótima performance. Destaco os bonitos desenhos que o Rodrigo criou, ornando muito bem a canção, com sua guitarra.


Eis o Link para assistir "Sunshine" no You Tube :


https://www.youtube.com/watch?v=CChSuzSu6Ew


Depois tocamos "Ser", com um peso incrível, e uma novidade especial para essa apresentação : por sugestão do Júnior, o Rodrigo fez uma intervenção de timbales, durante o solo do Marcello, chamando a atenção dos câmeras, que o enquadraram bem nesse momento.  
"Ser", nessa aparição na TV Cultura de São Paulo

Eis o Link para assistir no You Tube :


https://www.youtube.com/watch?v=SQfulR_HOhc


Numa abordagem direta comigo, os apresentadores me perguntaram sobre o nosso visual; os adereços sobre os amplificadores, e principalmente a enigmática foto do Dr. Timothy Leary, num porta-retratos colocado sobre o órgão Hammond. 

Mesmo com pouco tempo, e num programa direcionado à um público teenager, que evidentemente não entenderia as minhas explicações, dei meu depoimento da melhor forma que pude, naquela circunstância de tempo escasso. 

A quarta canção foi "O Ritual", nosso "momento Blind Faith"... 

Abaixo, "O Ritual" :

Eis o Link para assistir "O Ritual" no You Tube :


https://www.youtube.com/watch?v=B14cr-YdokA


Com a ida de Rodrigo aos teclados e Marcello à guitarra, essa troca de instrumentistas sempre impressionava e tínhamos a certeza de que isso se multiplicava em termos de público telespectador.
Acima, o programa na íntegra, com as entrevistas com a banda e a música "Nave Ave" cortada, pelo final da atração.

Eis o link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=q4j6Q0SOIwY
 

De fato, algumas manifestações vieram pelo chat, e uma nos chamou a atenção, vindo de um rapaz de Avaré, interior de São Paulo. 

Era um sujeito chamado Dárcio, e ele era presidente de um dos maiores fã-clubes dos Mutantes do país. Segundo suas próprias palavras, havia ligado a TV à esmo, e tomou um susto com a Patrulha no programa, pois nem imaginava que a banda havia voltado, e com essa proposta de resgate total das raízes 60/70, até no visual.
Versão on line da entrevista para o "Estadão" - 3 de maio de 2000

Ficou tão entusiasmado que passou a nos acompanhar com vivo interesse dali em diante, e até shows arrumou para nós, graças aos seus contatos na cidade de Avaré. Falarei sobre isso, oportunamente. 

Encerrando, tocamos "Nave Ave", mas o programa acabou, e mal dando para chegar na parte B da música, os caracteres começaram a subir, e assim que saiu do ar, os técnicos sinalizaram para pararmos a execução da canção. 

Foi uma ótima performance, e no ônibus da TV Cultura, voltando para a casa do Rodrigo, onde guardamos todo o equipamento, fomos conversando sobre o grande dia que tivéramos, com matéria no Caderno 2, do  Jornal "O Estado de São Paulo", e exibição ao vivo na TV Cultura.

Continua...      

Nenhum comentário:

Postar um comentário