sexta-feira, 21 de março de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 94 - Por Luiz Domingues

 

Antes de entrar em estúdio, no entanto, teve um show em janeiro de 1984. 

Foi numa rara brecha de agenda, onde o Língua de Trapo não se apresentaria, e dessa forma, A Chave do Sol subiu ao palco do Bar Persona, encravado no bairro do Bexiga, no dia 13 de janeiro de 1984.
O Persona, para quem frequentava o Bexiga naquela época, era uma casa interessante por possuir ambientes separados para duas bandas se apresentarem simultaneamente, e tinha um atrativo extra, que era o espelho do jogo "Persona", que não era muito conhecido no Brasil, mas bastante conhecido na Europa. 

Consistia num jogo de ilusão de ótica, onde duas pessoas se olhando no espelho, mediante a luz de uma vela, viam seus rostos fundiram-se num só, formando uma feição exótica com a mistura das feições de ambos. 

Esse jogo chegou a ser adaptado para um formato de tabuleiro e lançado no Brasil por uma fábrica famosa (só não me lembro se era da "Estrela" ou da "Troll").

E no lançamento do jogo nos anos setenta, o Tutti-Frutti fez um jingle e o disco vinha como brinde no pacote. 

É um som absolutamente experimental, longe das características do Tutti-Frutti normal que conhecemos, e mais parece Space-Rock, tipo do trabalho feito por bandas como Hawkwind, Tangerine Dream, Can e similares. 

Conheço um amigo que tem essa raridade, dono de um estúdio perto da minha casa, onde eu ensaiei algumas vezes com a Patrulha do Espaço, em 2001.



Voltando à Chave, foi um show onde o aspirante a vocalista, Wagner, "Sabbath" insistiu muito para dar uma canja, sonhando ser recrutado como vocalista da banda, e nós acabamos deixando que ele cantasse uma música. 

O público foi apenas razoável com cerca de 100 pessoas na plateia, mas com um entusiasmo legal , que animou-nos.

Um dado extra e legal, foi que o jornalista Leopoldo Rey fez discotecagem no dia, e seguindo seu gosto pessoal, mandou uma seleção de Rock'n Roll e R'n'B dos anos cinquenta, sensacional. 

Livrando-nos assim, de uma discotecagem normal de casa noturna, massacrando-nos com o lixo pop oitentista em voga, como seria de se esperar... 

Após esse show, as baterias concentraram-se novamente nos ensaios visando a gravação do nosso primeiro disco.


Continua...  

Nenhum comentário:

Postar um comentário