terça-feira, 18 de março de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 89 - Por Luiz Domingues


Esse show de Atibaia foi devagar, embora não fosse exatamente um local e público ideais para nós. 

Eu o considero um show, contudo, pois havia público, equipamento e nossa postura foi a mesma de sempre, como se estivéssemos num grande show de teatro. Portanto está computado na lista de shows oficiais da banda.


Mas valeu pelo aspecto financeiro; a camaradagem de nosso anfitrião, e para dar uma esquentada ao vivo, pois dali há três dias, iríamos nos apresentar novamente no programa "A Fábrica do Som". 

Desta feita, seria um especial de comemoração pelo aniversário de um ano do programa, e seria filmado fora de seu palco tradicional, o teatro do Sesc Pompeia.

Nesse caso, estava designado o Circo Mágico, localizado no Parque Anhembi. 

Era um enorme circo de fato, instalado no estacionamento do Parque de Exposições do Anhembi, na zona norte de São Paulo. 

O fato de terem nos convidado, era uma enorme honra, pois estavam ali reunidos os artistas que mais haviam repercutido positivamente no programa. 

Lembro-me da presença do Premeditando o Breque, que nesse dia estava com meu velho amigo Sérgio Henriques (ler tópicos "Trabalhos Avulsos" e "Terra no  Asfalto", onde ele é amplamente citado), como novo integrante daquela banda.

Não vi as demais atrações, pois assim que terminou a apresentação da Chave do Sol, saí imediatamente do Circo, pois estrearia com o Língua de Trapo, naquela noite no TUCA. 

Essa parte da narrativa, pelo ponto de vista do Língua, já está relatada no capítulo "Língua de Trapo".

A seguir, falarei detalhadamente sobre a apresentação.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário