domingo, 2 de março de 2014

Autobiografia na Música - Sidharta - Capítulo 8 - Por Luiz Domingues


Então, findou-se o ano de 1997, com o Rodrigo preparando uma nova música, que seria batizada de "Alma Mutante" (a letra é minha), e nós dois trabalhando juntos num riff, que se transformaria em "Tudo Vai Mudar".

Eu não tenho nem 1% da habilidade aos teclados que o Rodrigo e o Marcello possuem. 


Mas sei montar meia-dúzia de acordes, e sustentar um rítmo 4/4 em stacatto, portanto, brincando num piano, no final de 1997, acabei compondo "Sr. Barinsky (Admirável Sonhador)". 

Claro, meses depois ela ganhou corpo nos ensaios, com a colaboração da banda toda nos arranjos. 

A letra, trata de um homem idoso que vê a vida passar pela sua janela, de forma incólume.

Confesso que me inspirei em "Dear Prudence" dos Beatles para compor essa "Beatle Song" e "Eleanor Rigby", também dos Beatles, para escrever a letra na terceira pessoa, narrando essa história.

Na época, nem percebíamos, mas o Deca estava trazendo poucas ideias às composições. 


E ele é bastante criativo normalmente, vide os riffs de Rock'n'Roll que cria no trabalho do Baranga, sua banda desde 1999, mais ou menos.
 

Mas isso só ficou claro, a partir de março de 1998, conforme esclarecerei posteriormente. 

Prosseguimos pensando num baterista ideal em janeiro de 1998, quando eu recebi o inesperado telefonema de um velho amigo: José Luis Dinola, meu ex-colega de A Chave do Sol.

O Dinola ligou para saber o que eu estava fazendo, pois pensava em me convidar para um combo de blues que estava desenvolvendo com o guitarrista Marcelo Watanabe. 


Então, interpretando esse telefonema quase como um "sinal", eu resolvi lhe contar sobre o Sidharta, nossas pretensões, o talento incrível do Rodrigo como multi instrumentista, cantor e compositor, o ótimo guitarrista que o Deca era, e a existência já de algumas músicas compostas.

Ele quis saber mais, e marcamos assim uma reunião na casa dele em Pinheiros, bairro da zona oeste de São Paulo, onde morava.
 

Eu conhecia a cabeça dele, e sabia que muito provavelmente não se encaixaria numa proposta retrô, mas...era um cara nota mil e um grande músico.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário