sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Os Quietos Vagam - Por Julio Revoredo




O sitiado míope, deambula pelo nítido nulo.


Sobrepensa nas solitárias, nos tumores e nas absconditas áreas, nos estímulos.

Mergulha na decepção que decepou a mão.





Julio Revoredo é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Poeta e letrista de diversas músicas que compusemos em parceria, em três bandas onde atuei : A Chave do Sol, Sidharta e Patrulha do Espaço.

Aqui, neste poema sintético, usa de imagens sensoriais, para exprimir sentimentos recônditos. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário