quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 61 - Por Luiz Domingues

Como se não bastasse a quantidade enorme de shows que fizemos em pouco mais de 40 dias, o Jerome nos encaixou num show ao ar livre no Reveillon. 

Chamado "Reveillon no Bexiga", tratou-se de um show de choque que fizemos num palco armado na rua Rui Barbosa, no bairro do Bexiga, em frente à tradicional cantina "C Que Sabe". 

Segundo estimativa da polícia militar que cobria o evento, haviam cerca de 3 mil pessoas no local. 

Claro, era produção da Secretaria Municipal de Cultura. Tocamos por volta das 22:00 h., e além do Língua de trapo, apresentaram-se também o "Premeditando o Breque", e o "Paranga", para no final, como festa de Reveillon, tocasse um trio elétrico pelo resto da noite.

Mas certamente não era ninguém muito conhecido, pois nesse caso, eu me recordaria. Foi um show  animado, apesar de que em shows de choque, e sem entender o contexto do trabalho do Língua de Trapo, o público não avisado tendia a não compreender de pronto a questão satírica. 

Ainda mais num show gratuito de rua, e em meio à dispersão natural de um Reveillon. 

Mesmo assim, me lembro que foi bem legal, dando-nos a sensação de dever cumprido, e o foguetório da virada de ano, parecia comemorar o ótimo final de ano que a banda teve, com o novo show indo muito bem, e prenunciando que 1984 nos reservaria muitas surpresas boas.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário