quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 64 - Por Luiz Domingues

O próximo passo foi uma micro temporada no Teatro Municipal de Santo André. 

O Língua tinha uma força muito grande nas cidades da região do ABC, por conta da fama que ali fez, ao participar de vários comícios monstruosos do PT, por ocasião da campanha de Lula, como candidato ao governo do estado de São Paulo, nas eleições de 1982. 

E dessa forma, fomos tranquilos para mais uma micro temporada numa cidade do ABC, sabendo que teríamos bom público.
Logo no primeiro dia, durante a passagem de som, eu tive uma surpresa. Não era novidade para os demais, pois já conheciam o personagem que se apresentaria, mas para mim, foi inusitado. 

Notei que o Laert e o Pituco conversavam animadamente nas poltronas do teatro, com um mendigo !! 

Ao me aproximar, fui apresentado formalmente, e notei que era de fato conhecido deles e não uma pessoa que folcloricamente havia inserido-se à esmo.
O cara era extremamente culto e o teor do papo estava para lá de surpreendente, pois era óbvio que se estava naquela situação de penúria, devia ter sido um revés inesperado, porque era evidente que se tratava de uma pessoa que tinha um nível educacional e cultural incompatível com a sua situação social terrível naquele momento. 

Então tudo esclareceu-se : era  de fato articulado, pois fora jornalista, mas por uma série de fatores alheios à sua vontade, e alinhavados pelo alcoolismo, foi perdendo tudo. 

Casa, emprego e família ficaram só na lembrança, e agora vivendo de favores, esmolas e eventuais bicos, vivia como mendigo. Parecia surreal ver o cara maltrapilho e sujo, citando Dostoievksi, discursando sobre política, arte etc etc... 

Depois desse dia, o encontrei ocasionalmente uma vez no bairro do Bexiga em São Paulo. Isso foi numa noite em que o Pitbulls on Crack iria tocar numa casa noturna da rua 13 de maio, em 1994, ou seja, dez anos depois. 

Ele aparentava estar numa situação um pouco melhor, mas ainda vivendo com muita dificuldade, certamente. E continuava com sua cultura invejável, causando espanto para quem costuma julgar as pessoas apenas pela aparência. 

Logo mais, falarei sobre os três dias no Teatro Municipal de Santo André e tenho histórias para contar dessa ocasião.

Continua... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário