sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 65 - Por Luiz Domingues

Nesses três shows no Teatro Municipal de Santo André, o público foi bom, apesar de uma oscilação radical entre um dia e outro.

O primeiro, ocorreu no dia 20 de janeiro de 1984, uma sexta-feira, com 200 pessoas presentes. 

As condições do teatro eram ótimas, e o show ocorreu com toda a sua possibilidade cênica bem desenvolvida.
No dia seguinte, 21 de janeiro, tivemos um público bem maior, com 400 pagantes. 

Nesse dia, uma coisa surpreendente ocorreu, fugindo dos padrões normais do Língua de Trapo que certamente não era uma banda de Rock, tampouco fenômeno Pop, brega ou similar... 

Ao término do show, uma invasão súbita do palco deixou-me atordoado. Eram pelo menos umas 30 garotas caçando autógrafos e querendo levar para casa qualquer tipo de souvenir disponível.

Só ouvia a voz do Pituco falando : "olha o Luiz...vai ser devorado pelas minas"...

E finalmente no terceiro dia, 22 de janeiro de 1984, mas antes de subirmos ao palco do Municipal de Santo André, tivemos um show de choque em São Paulo, no período da tarde.
Ocorreu na Praça Benedito Calixto, justamente onde hoje em dia (na verdade, há muitos anos), ocorre uma concorrida Feira de Antiguidades aos sábados. 

Essa praça fica exatamente em frente onde era o Teatro Lira Paulistana, onde tanto nos apresentamos. 

Tratou-se de um show promovido pela Prefeitura de São Paulo, comemorando o aniversário da cidade, que ocorreria dali há três dias. 

Lembro-me de que havia um público aproximado de 1600 pessoas, e entre outras atrações além de nós, tocaria o grupo Rumo. 

Tocamos, foi bem animado e dali fomos voando para Santo André, passar o som e fazer à noite, o terceiro e último show naquele belo teatro.

Perante um animadíssimo público de 400 pessoas, nos apresentamos e assim, encerramos essa micro temporada na cidade do "Ramalhão".

Continua... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário