quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 111 - Por Luiz Domingues


E seguiu a temporada no Lira Paulistana. 

Naturalmente que o assunto no dia seguinte à noite do Blackout, era o desdobramento político desse evento, e numa banda como o Língua de Trapo, isso era um prato cheio para a criação de piadas imediatas, que poderiam ser usadas imediatamente nos shows.

Claro que o Laert e o Pituco ironizaram o evento, com o apoio de todos, principalmente do João Lucas, sempre politizado e antenado nos acontecimentos. 

O show da quinta-feira, dia 26 de abril de 1984 teve apenas 40 pessoas, e só conseguimos atribuir um movimento fraco desses ao evento do dia anterior, e possíveis boatos que afugentaram as pessoas.

Sempre lembro aos mais jovens, que estávamos ainda vivendo sob um regime ditatorial e que a despeito da frouxidão que era nítida nesse final de processo, ainda havia o temor pelo endurecimento, como reação ao clamor popular pela redemocratização do país e naqueles dias, especificamente, a pressão popular pela volta das eleições diretas para presidente da República.

Então, a boataria tomou conta de todos, e isso pode ter despertado o temor por problemas nas ruas, com manifestações e a devida reação da polícia e outros órgãos repressores.

Só pode ter sido esse o motivo...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário