segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Autobiografia na Música - Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada - Capítulo 17 - Por Luiz Domingues


O Pós-show foi bastante animado, com cumprimentos efusivos dos presentes. Apesar das dificuldades técnicas já salientadas, eu saí bastante satisfeito com a performance, e com a certeza de que em condições melhores, essa banda renderia muito.

Um episódio prosaico aconteceria alguns instantes depois, mas sem absolutamente nenhuma relação com o show em si. Tal evento, proporcionou-me uma quase cena de pastelão explícito, em plena madrugada da Rua Augusta...

Foi o seguinte : passados os momentos de cumprimentos e conversas do pós-show, começamos a desmontar o palco nós mesmos, pois era uma produção muito simples, sem a presença de uma equipe técnica profissional, que cumprisse tal tarefa.


Até aí, tudo bem, ninguém ali era uma "Diva" que se recusasse a cumprir tais tarefas.

Desmontado tudo, cada um foi buscar seu carro, e tratar de carregar seu equipamento pessoal, quando um súbito tormento assolou-me !!

Enquanto ajudava o tecladista Caleb Luporini a carregar o seu automóvel, vi um guincho do CET (Companhia de Engenharia de Trânsito, órgão da prefeitura que comanda o trânsito em São Paulo), passar com o meu carro na sua caçamba...

Tive a reação instintiva de sair correndo atrás, e gritar para o motorista do guincho parar e atender-me, mas o sujeito nem olhou no seu retrovisor...


Fiquei desolado, já imaginando o inferno burocrático que enfrentaria nos dias posteriores para resgatar o meu automóvel, quando tive o instinto de ir ao local onde estacionara, para verificar se fora mesmo o meu carro que havia sido guinchado.

Quando aproximei-me do local, na Rua Augusta mesmo, mas cerca de 200 metros adiante do Club Noir, tive a refrescante sensação de alívio ao vê-lo ali, estacionado e incólume !!

O carro que vira, era naturalmente outro, mas por ser do mesmo modelo, ano e cor, do meu, disparou a sensação de insegurança por ter estacionado num local onde tinha dúvidas se era permitido ou não, por uma questão de horário mencionado na placa de trânsito ali presente. Como faltavam poucos minutos para que fosse permitido, no momento em que estacionei, pairou a dúvida no ar...

Passado esse susto (nunca me esquecerei de minha sensação ao ver meu carro, supostamente sobre uma caçamba do CET, e minha reação ridícula de sair atrás gritando... ), a boa nova anunciada pelo Ciro, era que já tínhamos uma nova data em vista, e seria bem próxima, dando-nos a ideia de uma sequência animadora do trabalho.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário