domingo, 4 de outubro de 2015

Autobiografia na Música - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 16 - Por Luiz Domingues


Infelizmente, o estado de saúde do Kim era mais grave do que supúnhamos inicialmente. Desta forma, o pós-operatório o colocou em uma situação de repouso absoluto, por algumas semanas.

Fui visitá-lo e fiquei bastante admirado por sua incrível capacidade de enfrentar a dificuldade com extrema bravura e otimismo.

Confesso, diante de uma adversidade dessa gravidade, não sei se teria essa coragem toda com a qual ele a enfrentou, e venceu, merecidamente aquela questão.

Enfim, apesar dessa tenacidade e grandeza de espírito, não seria a única batalha que enfrentaria nesse ano de 2012. 

Foi de fato, um ano difícil para os Kurandeiros, porque com a perspectiva de uma segunda intervenção cirúrgica (e no cômputo geral, ele enfrentou quatro cirurgias), uma nova etapa de repouso se avistava, e dessa forma, o Kim foi aconselhado pelos médicos a cancelar compromissos, e sobretudo, não firmar outros, até segunda ordem.

Bem, super ativo como ele é, claro que obedeceu os médicos parcialmente, apenas. Se realmente teve que cancelar apresentações, no seu home studio, adiantou muitas coisas para os Kurandeiros, criando promos de internet, mixando músicas já gravadas, e compondo novo material.

Nesses termos, mandou-me 3 temas pela internet, convidando-me a gravar o baixo dessas canções.

Tirei as harmonias, criei linhas de baixo e numa tarde, fui à sua casa para gravar, com muito prazer.

Dessas três músicas, uma foi promovida na internet, como um promo de visual bem psicodélico, e fez um bom barulho nas redes sociais.

Falo disso, a seguir... 

Foi um baita prazer comparecer à casa do Kim, no bairro das Perdizes, zona oeste de São Paulo. O QG do Kurandeiro-Mor é um conjugado de dois cômodos, na parte baixa da casa, isolado da residência ampla, e com a charmosa arquitetura dos anos vinte, acredito.  

Nesse compartimento da residência, ele está cercado de aparelhos eletrônicos que seu pai tem como Hobby montar, fazendo com que a decoração seja muito louca, ao estilo de laboratórios de cientistas de filmes de Sci-Fi ou Terror, antigos, da Universal, ou mesmo da Hammer...

Bem, como cinéfilo que sou, nem preciso dizer o quanto achei incrível tudo aquilo.

O Kim grava no seu port-estúdio, com muita tranquilidade, usando tecnologia digital, pro-tools etc. Portanto, apenas pluguei o meu Fender Precision, e mandamos ver nas três canções.

Numa delas, eu criei uma linha bem inspirada no Gary Thain, baixista que passou pelo Uriah Heep, e é uma grande influência para mim.

Ocorre, que o tema era instrumental, e a linha mestra da melodia executada pela guitarra, era feita pelo slide e lembrava muito o trabalho do Ken Kensley no Uriah Heep.

Portanto, estava convencido que se seguisse essa linha do Gary Thain, o baixo ornaria de uma forma bem adequada à canção e foi assim que ocorreu.


Vídeo-promo de "Sliding in the Stratosphere", canção que descrevi no parágrafo acima.
 

Eis o Link para assistir no You Tube :
http://www.youtube.com/watch?v=D-YvJ6evWME


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário