terça-feira, 27 de outubro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 62 - Por Luiz Domingues


E sem nenhum constrangimento por conta dessas dificuldades de comunicação, o "R" tinha a famosa lábia de empresário. 

Além de prolixo, gostava de botar banca, falando sobre seus feitos e contatos na área. Até aí, tudo bem, pois não dá para ser introvertido nessa profissão, mas claro que certos excessos preocupavam-nos. 

A esposa dele era no entanto mais comedida e dessa forma, tínhamos um equilíbrio entre o histrionismo de "R" e o pé no chão, dela. As primeiras ações combinadas se concentrariam em tentar colocar a banda no circuito de shows da rede Sesc. 

Ele dizia ter contatos fortes e que costumava vender os shows do cantor/compositor Kiko Zambianchi, nesse circuito. Até o dia em que o visitamos em seu apartamento, ele não sabia ao certo quem éramos. 

Talvez a intermediação feita pelo nosso amigo em comum que o apresentou não o tenha impressionado o suficiente. Mas, mediante os fatos, ou seja, depois de ver os dois vídeo-clips, examinar o site, ouvir o disco e tomar conhecimento que tínhamos música sendo veiculada numa FM de São Paulo, isso mudou, mas não como achávamos que mudaria. Ao longo da narrativa isso ficará claro...

Em princípio ficamos animados, mas o fato é que essa animação foi fugaz. O sujeito passou a ter atitudes muito estranhas no decorrer dos próximos dias, desabonando-o completamente. 

Aproximando-se a data do nosso show internacional, queríamos testá-lo também como manager e nesse caso, "Road Manager". Era necessário, porém, foi um grande erro que cometemos, como contarei a seguir.

Todas as fotos são de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário