sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 213 - Por Luiz Domingues


Chegamos no meio da madrugada em São Leopoldo, sem nenhum problema com o ônibus e sob a condução firme de nosso motorista, "Seu Walter".

Com nosso amigo, Luciano como guia, tudo foi facilitado também em termos de caminho.

Novo Hamburgo e São Leopoldo ficam tão perto uma da outra, que a impressão é que se muda de um bairro para outro.

O local onde tocaríamos em São Leopoldo seria novamente o BR3 do "Biba", aquele freak doido e cheio de ideias mirabolantes que encontráramos em janeiro.

Toda a produção seria novamente do amigo Luciano e mais uma vez, a sua banda faria a abertura do nosso show, mas desta feita não seria a banda Tributo ao Black Sabbath, "Sabbra Cadabra", mas sim um trio onde curiosamente ele tocaria baixo ao invés de guitarra, desta feita com proposta de covers variados e denominado : "Voodoo Trio".

Tudo foi basicamente igual ao show anterior, mas desta vez houve maior agilidade, pois todo mundo sabia das limitações de uma casa pequena e de fraca infraestrutura e sendo assim, o Luciano antecipou-se e tomou as providências devidas.

Após o rápido soundcheck, tivemos um bom tempo livre e dispersamos, sem marcar jantar oficial da comitiva em algum restaurante, cada um se aventurou sozinho pelo centro da cidade de São Leopoldo e nessa caminhada que fiz acompanhado do Junior, vimos que havia uma outra casa noturna de ambientação Rocker, alguns quarteirões do BR3 (na avenida Lindolfo Collor), e com as portas abertas, entramos e vimos que a banda "Autoramas" fazia seu soundcheck. Bacana ver que mesmo em outro mundo, e especificamente no caso deles, o do universo do "Indie Rock", estavam "ralando" como nós, tocando em turnês montadas no ambiente do underground.

Fizemos o nosso show e foi mais uma vez sensacional. São Leopoldo nos recebia com um calor Rocker extraordinário mais uma vez, e aquele público emocionou-se e emocionou-nos com sua reação muito intensa.

Num dado momento do show, quando falei ao microfone que havíamos tocado em Porto Alegre dois dias antes, agradecendo o carinho do público gaúcho, alguns gritos de repúdio aos portoalegresenses soaram no ambiente. Alguns mais exaltados xingaram os habitantes da capital gaúcha, e claro que tal manifestação nada tinha a ver comigo, tampouco com a nossa banda. Era pura rixa local entre cidades e a seguir, alguém começou a cantar o hino gaúcho, e todos  se uniram, numa demonstração impressionante de comprometimento com sua cultura regional.

Passado esse momento de demonstração do orgulho gaúcho, o show prosseguiu e tudo continuou na sua normalidade, com a banda a mil por hora na performance, e o público em estado de êxtase.

No dia seguinte, seguimos para Joinville e nosso amigo Luciano Reis viajou conosco como convidado. Ele teria que voltar a São Leopoldo no sábado, mas aceitou assim mesmo curtir mais um pedaço da nossa turnê. E claro que era um prazer contar com ele na comitiva.

Ótimo show em São Leopoldo, agora estava encerrada a etapa gaúcha e voltaríamos para Santa Catarina, onde três shows nos esperavam : Joinville; Blumenau, e Florianópolis.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário