sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 45 - Por Luiz Domingues

 

Iniciou-se aí, o que eu considero a fase mais estimulante, pelo menos do ponto de vista de resultados externos visíveis, do Pedra. 

Foi uma fase de extrema confiança e união entre os quatro componentes, criando de fato, uma egrégora de força.

Muitos fatores conspiraram a favor nesse momento, iniciado com a entrada do Ivan e procurarei especificá-los com detalhes, para passar o mais fidedignamente possível. 

O primeiro ponto, obviamente era a própria entrada do Ivan e a maneira com a qual adaptou-se instantaneamente. Sem dúvida que esse fator foi preponderante para nos deixar muito mais confiantes.

Mas haviam outros elementos interessantes em vista. Por exemplo, o disco saindo do forno. 

Com a solução do Lay-out da capa/encarte definida, a preocupação agora era fazer um lançamento, promoções, divulgação e abordagem do material na mídia. No quesito shows, não havia nenhuma perspectiva glamourosa à vista, pois o show internacional onde atuaríamos, fora adiado para setembro. 

Contudo, conseguimos uma data para o Centro Cultural São Paulo, e que seria para só para julho, mas era uma perspectiva bacana. 

Nesse ínterim, outras oportunidades apareceram, abrindo a chance de nos apresentarmos antes de julho. 

Uma delas, seria um show de choque na Feira da Vila Pompeia, e o outro, uma apresentação numa casa noturna, denominada "Café Aurora". 

Simultaneamente, surgiu a perspectiva de filmarmos um segundo vídeo-clip. Isso cairia como uma luva em nossos esforços de divulgação.

Foto 1, de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário