quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 197 - Por Luiz Domingues


Voltaríamos à mesma região de Rio Claro, alguns dias depois. Desta feita, nosso compromisso seria na cidade vizinha, de Limeira, para mais uma apresentação no Bar da Montanha.

Conforme já falei anteriormente, o ambiente do Bar da Montanha era o melhor possível em termos rockers. 


Os donos, super hospitaleiros, solícitos e dispostos a nos agradar em sua recepção. Mas o público, era um ponto estranho nessa equação. A casa recebia um bom público, e no visual da maioria das pessoas, denotavam serem rockers, mas em sua maioria, parecia alheio ao show, conversando nas mesas sem prestar atenção na performance da banda. 

Chamava-nos a atenção tal comportamento surpreendente, pois a casa era teoricamente um reduto rocker, e não uma boate de playboys incautos, como muitas onde nos apresentamos em outras cidades, portanto, causava-nos espécie essa comportamento blasé.

Foi uma apresentação tranquila, apesar disso. Os fãs que compareceram porque curtiam a Patrulha, se concentraram na frente do palco, e se comportaram como gostaríamos que os demais se comportassem também, mas não dava para exigir isso de ninguém, e assim...

Isso ocorreu no dia 10 de março de 2002, com 200 pessoas na plateia, aproximadamente.

Voltamos para São Paulo com o dever cumprido, um cachet razoável no bolso e alguns dias depois, iríamos para um outro quadrante do estado, para um compromisso no Sesc de Bauru, onde dividiríamos a noite com o Tutti-Frutti, e mais uma vez teríamos o guitarrista do Sepultura como nosso convidado, Andreas Kisser.



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário