quarta-feira, 20 de maio de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 257 - Por Luiz Domingues


Nos quatro primeiros meses de 1986, nos concentramos na composição de novas músicas, conforme já falei anteriormente. 

Mas também foi uma fase de contatos, e nesse aspecto, amigos que queriam nos dar uma mão, e estavam no mainstream, foram muito bacanas conosco. 

Por exemplo, cito inicialmente o baterista dos Titãs, Charles Gavin, que mostrava-se muito solidário com colegas que estavam na segunda ou terceira divisão da música profissional, nosso caso.

Charles era velho conhecido do Beto Cruz, pois ainda no final dos anos setenta, houvera sido baterista de uma banda cover que o Beto teve, chamada "Zona Franca", e cujo baixista, era o seu irmão, Claudio Cruz.

Gavin nos visitou em nosso ensaio, e nos deu dicas valiosas sobre o que precisávamos para compor o material que pretendíamos gravar numa nova demo, além duma explanação sobre os meandros da gravadora WEA.

Contou-nos várias particularidades sobre como funcionava a cabeça das pessoas que comandavam o departamento artístico daquela gravadora, e também histórias pitorescas (nada impublicável, mas não revelarei nada pois não acho correto, pois são coisas que eu não presenciei, mas só ouvi dizer, fora o fato de que não poderia trair a confiança do amigo Gavin, mesmo com essa defasagem de tempo, enorme).


O ex-baixista dos Mutantes nos anos 70, e produtor incensado nos anos oitenta, Liminha

Gavin se prontificou a levar a nossa demo em mãos para o Liminha, no Rio, assim que a tivéssemos pronta.  

Ele gostava da nossa banda e enxergava uma possibilidade, agora que o som estava mais adequado ao padrão POP, portanto mais condizente à mentalidade das gravadoras e mídia, ainda que não fosse exatamente o ideal, pois aos olhos dessa gente, éramos "pesados" demais e longe do maledetto padrão do Pós-Punk, a monolítica estética que ditou as normas na década de oitenta.

Contudo, com esse amigo intercedendo, ficamos muito mais esperançosos de haver ao menos a boa vontade de se fazer uma audição do material.

Sendo assim, intensificamos nossos esforços para ensaiar e marcar enfim, uma sessão de estúdio para preparar a demo.



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário