sexta-feira, 29 de maio de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 277 - Por Luiz Domingues


Independente dessa dupla de jovens empresários se firmarem e trabalharem conosco, tomamos uma resolução interna. Pensamos em criar uma espécie de autogestão empresarial, abrindo espaço para pequenas autoproduções, que poderiam correr em paralelo, independente de dar certo ou não com esses rapazes, ou outro manager que aparecesse.

Como disse anteriormente, estávamos muito apreensivos quanto à demora em não arrumar alguém legal ou minimamente esperto para aproveitar o "momentum" da banda, portanto, resolvemos dar esse passo, internamente falando.

E a primeira ação que tivemos nesse sentido, foi a de produzir um show no interior de São Paulo, uma semana depois do show que faríamos no Palmeiras, na capital.

Era uma oportunidade para testar a nossa capacidade de autogestão, e não foi à toa que escolhemos a cidade de Bragança Paulista, no interior de São Paulo, para fazer esse show teste de autoprodução.

Em primeira instância, claro que parecia loucura produzir um show fora de São Paulo e era mesmo. Contudo, tínhamos fortes indícios de que uma produção ali seria uma "barbada", em termos de perspectiva de lograrmos êxito.

Por que ?

Primeiro porque havíamos feito um show em 1985 naquela cidade, e constatamos que tínhamos muitos fãs locais. O segundo ponto, era que havíamos feito dois shows na cidade vizinha também, Atibaia, no ano de 1984, e lá também havia um público rocker. Em Atibaia tínhamos o apoio de um fã abnegado, chamado Hélcio, que inclusive citei muitas vezes quando comentei fatos de 1984, muitos capítulos atrás.

E outro fator, em Bragança Paulista, não seria diferente nesse aspecto de apoio local, com o apoio de um grande fã, que tornou-se amigo e roadie da banda, logo a seguir, ainda em 1986, o saudoso Eduardo Russomano.

Russomano morava em São Paulo, mas sua cidade natal era Bragança Paulista e lá, conhecia a cidade inteira, principalmente a comunidade rocker da cidade, Indo além, conhecia rockers da cidades vizinhas, também, como Atibaia; Socorro; Piracaia, e Extrema, esta no estado vizinho de Minas Gerais, pois ali em Bragança Paulista, é muito perto da fronteira entre os dois estados, São Paulo e Minas.

Então, baseado nesses fatos, achamos que seria uma experiência boa testar a nossa capacidade autogerencial, e resolvemos bancar a essa loucura...

Para tanto, criamos uma "firma" e se a experiência desse certo, daríamos o passo para legalizá-la em todos os trâmites governamentais; cartorários; e fiscais, tornando-a o nosso escritório próprio de gerenciamento. Se arrumássemos um empresário de maior envergadura e claro que essa era a nossa meta, o escritório próprio ficava no "stand by", mas sempre estaria a postos para entrar em ação, em qualquer missão.

Na verdade, o escritório já existia...todas as ações do fã clube eram tocadas por mim e Zé Luis, e usávamos as instalações do consultório dentário do pai dele, em Pinheiros (zona oeste de São Paulo), que tinha em anexo, uma estrutura de escritório, com arquivos, máquinas de escrever e material de papelaria à vontade para usarmos, numa gentileza de seu progenitor. Com tal estrutura, não só gerenciávamos o fã-clube, como as ações de divulgação da banda saíam dali, na falta de uma assessoria de imprensa profissional.

Então, a estrutura para o escritório de representação já estava lá, montado, e em pleno uso, desde 1983...

Dessa forma, eu e Zé Luis criamos o "Núcleo ZT", um nome fantasia que designava por iniciais os nossos nomes, prosaicamente falando, é claro, pois "Z" era de "Zé" e "T", de "Tigueis" (aquele apelido infeliz pelo qual era conhecido naquela época...).

Abrindo um parênteses, acho oportuno, como constatação, deixar essa observação histórica : entre janeiro e abril de 1986, não fizemos shows, mas..

1) Preparamos uma demo tape com seis músicas inéditas;
2) Filmamos um clip para a música "Saudade";
3) Filmamos e lançamos o Clip de "Sun City";
4) Nos envolvemos na produção do show no ginásio do Palmeiras;
5) Criamos o "Núcleo ZT";
6) Começamos a produção do show em Bragança Paulista;
7) Fomos ao Rio abordar gravadoras majors com a demo em mãos;
8) Continuamos trabalhando fortemente no fã clube (e aliás, preciso em breve abrir um parênteses para falar com detalhes sobre a criação do informativo do fã clube, que fez barulho entre fãs !!);

Em suma : trabalhamos intensamente...

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário