segunda-feira, 18 de maio de 2015

Autobiografia na Música - Pitbulls on Crack - Capítulo 73 - Por Luiz Domingues

Marcus Rampazzo, também deu um show de simpatia, mas não por sua culpa, foi subutilizado nesse álbum. Ocorre que nós queríamos que ele colocasse um arranjo de cítara indiana na música "Shadow of the Light".

Contudo, nós não o consultamos previamente sobre isso e esse foi o nosso erro, pois pelo fato de a cítara obedecer a afinação oriental de microtons, não é em qualquer harmonia que ela encaixa-se, sem parecer desafinada, nos padrões ocidentais, de sete tons e cinco semitons.
Como a música estava posicionada harmonicamente em Sol Maior, essa tonalidade era imprópria (encaixar-se-ia fosse Si Menor ou Ré Maior), e nesse caso, só restou ao Marcus Rampazzo, gravar um Tamboura, que adapta-se melhor, por mais ser um instrumento de apoio, e não sujeito à harmonia, propriamente dita.
Então, o ouvinte pode perceber claramente esse instrumento exótico que lembra uma harpa, mas de som indefinido, quase cacofonico, similar ao ruído de uma serra elétrica. 
Terminada essa fase, a mobilização agora seria a de gravar o "Buzuki", um exótico instrumento de origem grega, que o Chris possuía e queria acrescentar como sonoridade diferenciada na faixa "Candle Light".
Ele não era nenhum "especialista" no uso desse instrumento, mas conseguiu tirar uma sonoridade bastante interessante e ainda que na mix final, ele tenha sido sobrepujado na massa sonora geral, dá para ouvi-lo com razoável nitidez, até por parte de ouvidos leigos, pouco acostumados a detectar sutilezas em áudios.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário