sábado, 30 de maio de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 285 - Por Luiz Domingues


O fato do show de Bragança Paulista não ter tido o resultado que esperávamos, não desabonava o esforço empreendido pela produção, planejamento e logística do Núcleo ZT.

Tudo o que estava ao nosso alcance, foi feito. Principalmente pelo Zé Luis, que tomou a dianteira de toda a logística na cidade, mediante as dicas valiosas de nosso amigo Eduardo Russomano.

O que ocorreu, então ?

Para ficarmos ainda mais irritados com o infortúnio, o Eduardo Russomano nos contou que durante os dias posteriores, muitas pessoas o abordaram em Bragança Paulista para lhe perguntar se A Chave do Sol havia mesmo tocado no sábado...

Ora, esse fato real estava sendo tratado como um boato, e as pessoas lamentavam não terem sabido do show !!


Como isso era possível numa cidade interiorana, com faixas espalhadas pelo centro; cartazes nos pontos cruciais; chamadas na emissora de rádio local; matéria no jornal da cidade, e boca a boca ??

Pois aprendemos uma lição importante nesse dia, e todo produtor de show sabe bem disso que estou falando : nem sempre ter todas as condições favoráveis garantem o sucesso da produção.

Principalmente em cidades interioranas, existe esse imponderável, misterioso e incompreensível fator. Demos o azar supremo de enfrentá-lo logo na primeira tentativa e esse foi um momento crucial para a banda, pois se tivesse sido um sucesso total tal empreitada, teríamos tomado um outro rumo no aspecto gerencial, acredito.

O revés financeiro não foi acachapante mas deu um abalo no nosso caixa, é claro. Por sorte, o telefone estava tocando, como tenho alardeado nos últimos capítulos, e perspectivas gerenciais estariam batendo na nossa porta, conforme explicarei logo mais.

Antes de falar sobre o show significativo que fizemos a seguir, no Rio de Janeiro, comentarei alguns agitos de rádio e TV que tivemos nesse meio tempo e um importante parênteses para falar do informativo do fã-clube, uma ideia que tínhamos tido ainda em 1984, mas que nessa metade de 1986, transformara-se numa ferramenta a mais para a nossa divulgação.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário