sábado, 19 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada - Capítulo 12 - Por Luiz Domingues


Chegou enfim o momento do quarto ensaio, e nesse dia, tive enfim, o prazer de conhecer a cantora Luciana Andrade, que pela primeira vez participou de um ensaio.

A banda estava bastante segura, já tocando sem maiores preocupações com a harmonia das músicas.

A Luciana era a cereja no bolo, naquele momento, pois sua voz era muito afinada, com extensão, e um lindo timbre, límpido e feminino. 


Uma graça de pessoa, mostrou-se bastante simpática, solícita, e demonstrava gostar de interpretar as letras cheias de psicodelia, escritas pelo Ciro.

Com sua presença, o som ficou ainda mais bonito, e acredito que estávamos prontos para a estreia, animando-nos.

Desse ensaio, lembro-me de ter batido um bom papo com o Ciro, sentados na porta do estúdio, na Rua Teodoro Sampaio, e ali, ele me disse estar muito confiante no resultado positivo dessa nova formação. De fato, a sonoridade da banda estava muito legal, e mesmo nos ensaios, dava para sentir a verve psicodélica, imprimindo uma aura "Floydiana", para lá de estimulante.

Contudo, o Ciro ainda marcou mais um ensaio, por segurança, e estávamos nos aproximando do final de novembro de 2011...


Veio então o último ensaio, marcado para o mesmo estúdio localizado em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, e na famosa rua Teodoro Sampaio, maior concentração de lojas de instrumentos e equipamentos do Brasil.

O ensaio final consolidou a confiança na banda estar pronta. Particularmente, após cinco ensaios, me sentia muito bem ambientado com todos os membros, e o astral era leve, de camaradagem e conversas agradáveis.

Quanto à sonoridade, estava muito bacana, com vibe sessentista explícita. Tirante músicas dos Titãs e do Cabine C, que eram difíceis de se tirar o ranço oitentista (mais a canção "Pânico e Solidão, do Cabine C, pois "Sonífera Ilha" estava agradável sob nossos auspícios Rockers, sem aquele Ska indecente da gravação original), todas as demais eram Floydianas até a medula. 


O Kim tinha feito arranjos pessoais muito legais, com arpejos e solos bem inspirados.

A voz da Luciana era um ornamento e tanto para a as canções, e o Ciro sabiamente lhe concedia momentos de brilho solo durante o show, onde ela realmente impressionava pela voz bonita e muito afinada.

Nesse derradeiro ensaio, o Ciro confirmou que tínhamos uma data fechada num Café Teatro chamado "Clube Noir", para o início de dezembro de 2011.

Habemus estreia !

Que venha a psicodelia !! 


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário