domingo, 6 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 123 - Por Luiz Domingues


Chegamos enfim na cidade de Mogi-Guaçu, com a van do nosso "sócio-motorista". 

Nosso anfitrião, Alexandre Quadros, estava muito animado e esperançoso pela presença de um público numeroso, visto que havia esforçado-se bastante para divulgar o espetáculo na cidade e também nas cidades vizinhas.

O local já era nosso conhecido e as condições de som, luz & infraestrutura de camarins eram portanto esperadas por nós.

Mas, à medida que o horário do show se aproximava , infelizmente notávamos que o público seria aquém da expectativa e aí, só nos preocupamos em fazer o show para os poucos que se dignaram a comparecer e o raciocínio do artista é sempre o de fazer o melhor possível, mas muito mais que isso, honrar o fã abnegado que foi.
Resenha do CD Coletânea "Dossiê Volume 4", na Revista Rock Brigade, nº 181, de agosto de 2001

O Alexandre ficou muito desapontado, pois era a cidade dele, e o seu esforço pessoal que poderia ter sido arranhado pelo insucesso de público. Mas o isentamos completamente desse ônus. Pelo contrário, o nosso reconhecimento pelo seu empenho, que foi extraordinário, não mudou um centímetro sequer. Sabíamos que ele havia se esforçado ao máximo, e o não comparecimento do público em massa, era meramente ocasional, e jamais por sua culpa.

Indo além, digo que já no tempo da Chave do Sol, eu já havia passado por situações parecidas, onde numa pequena cidade do interior, ninguém vai ao show, embora seja sabido haver fãs em tal localidade. É um fenômeno bizarro que nem a parapsicologia explica, mas existe como "fenômeno", e acontece muito no interior.

Não me lembro muito bem da apresentação da banda "Le Fou". Minha lembrança efêmera é a de uma banda pesada, com influência de Hard-Rock oitentista e talvez uma pitada de grunge noventista.  



Quanto ao "Wild Shark", era uma banda de boas influências setentistas, misturando com elementos dos anos 80 e 90 também. Era híbrida, pois tocou material próprio, mesclado a covers e lembrou-me o Rock'n Roll quase Hard do Kiss, em alguns aspectos.

O Alexandre estava muito chateado com a pouca presença de público e chegou a exaltar-se ao microfone, cobrando mais atitude dos rockers da região, em tom de desabafo, mas era inútil reclamar, pois quem merecia ouvir a bronca, simplesmente não esta lá. Ficou pelo seu desabafo pessoal, mesmo.

Era o dia 16 de novembro de 2001, e cerca de 30 pessoas pagaram ingressos para ver o show da Patrulha do Espaço e das bandas de abertura.

No dia seguinte, a missão era em Santos, no litoral...

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário