segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Magnólia Blues Band - Capítulo 10 - Por Luiz Domingues


Em 30 de abril de 2014, recebemos a presença de Hellison "Baby" Labarba, um gaitista /cantor da pesada, no cenário do Blues brasuca.

Figura extrovertida, ambientou-se conosco de forma imediata, tornando a noite bastante agradável, não só pelo convívio cordial, mas musicalmente, pela contribuição muito boa dele, na performance.

Um Blues lento na tonalidade de Fá, na interpretação de Baby Labarba, acompanhado da Magnólia Blues Band

O link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=QW0QZrNP2DU


Bastante "swingada" versão de Honk Tonk Women, dos Rolling Stones, com Baby Labarba comandando o vocal e a gaita

O link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=6ChEmbHqtqc

Com um público bom, a noite foi animada, sem dúvida alguma.

Na semana seguinte, em 7 de maio de 2014, o convidado foi Big Chico, uma baita figura na cena do Blues, também.

Versátil, Big Chico se notabiliza por ser um cantor de vozeirão de bluesman de Chicago; gaitista muito bom; e um guitarrista da pesada, também.

 

"Hey Guy", na interpretação de Big Chico, acompanhado da Magnólia Blues Band

O link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=syB0FrEvOvU

Nessa noite, atacou nas suas três especialidades e impressionou-nos pelo seu estilo vigoroso no Blues e até surpreendeu-nos quando propôs uma incursão à Soul Music, puxando Tim Maia no animado fim de noite.


"I Love You Baby", com Big Chico e Magnólia Blues Band

O link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=riCvTomxWIc

Em alguns momentos mais pesados, e quase no espectro do Rock, senti-me tocando com Freddie King, impressionado com a performance dele à guitarra.

Edu Dias apareceu, e também deu sua canja sempre bem vinda.

Já em 14 de maio de 2014, o convidado foi Thomas T. Love Jensen.
Dinamarquês de nascimento, Thomas é um gaitista/cantor ligado no Blues, que radicou-se no Brasil há pouco tempo, e tinha muita dificuldade em se comunicar em português, idioma difícil para estrangeiros, naturalmente, e que da parte dele naquela ocasião, só sabia meia dúzia de palavras bem básicas. 

Comunicando-se em inglês, Thomas mostrou-se bem discreto no convívio e na performance, talvez um pouco inibido pela situação de sentir-se não ambientado ao nosso país, mas creio que principalmente por se tratar de sua personalidade e cultura, como europeu e nórdico.

Na semana seguinte, o convidado seria um verdadeiro showman...


Continua... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário