terça-feira, 8 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 131 - Por Luiz Domingues


Era o dia 26 de dezembro de 2001, uma quarta-feira. Fazia o calor escaldante e típico de dezembro, e sabíamos que a sensação térmica só aumentaria à medida que nos afastássemos da capital, rumo ao interior.

A logística desse primeira etapa da tour não fora a ideal, mas foi o melhor que o Junior conseguiu armar, e convenhamos, o trabalho que teve para alinhavá-la, fora imenso.

O ideal teria sido fazermos o primeiro show na cidade mais longínqua de São Paulo, e progressivamente ir tocando nas demais num caminho de volta, amenizando assim o cansaço da estrada, mas ocorreu justamente o contrário, pelo jogo de interesses que são decorrentes desse tipo de negociação. O show de Jales, por exemplo, que era a cidade mais distante, 500 e tantos KM de São Paulo, teria que ocorrer no sábado, por todo o esforço que estava sendo demandado pela produção local etc.

Enfim, na ordem inversa, partimos para a primeira etapa, a ser cumprida na cidade de Americana, cerca de 130 KM de São Paulo, na região de Campinas.

A equipe dessa mini tour, era a mesma que trabalhara no show anterior, em Itu, duas semanas antes, ou seja : os quatro membros da banda, mais Claudia Fernanda na produção; Marco Carvalhanas como Road Manager; Samuel "Samuca" Wagner e Ruiter como roadies, e o sócio-motorista na pilotagem do carro.

Sabíamos que o ônibus tinha muitos problemas, mas aparentemente, o básico estava em condições de fazer essa rodagem de mais de mil kilometros, e sob intenso calor.

Saímos de minha casa, o ponto que tornou-se o novo QG da banda, já há algum tempo, por volta de 11:00 horas da manhã. O calor era intenso, mas não poderíamos nos dar ao luxo de sair mais tarde, mesmo sendo um curto percurso, justamente por sabermos que uma eventual falha mecânica, ou mesmo problemas com a polícia rodoviária, poderiam nos surpreender na estrada.

Enfim, a viagem transcorreu de forma tranquila e dessa forma, chegamos bem no início da tarde na cidade de Americana. Para quem não conhece o estado de São Paulo, "Americana" tem esse nome porque foi fundada no século XIX por americanos que ficaram inconformados com a vitória do norte sobre o sul na Guerra de Secessão, daquele país. Muitos estavam falidos, tendo perdido todo o seu patrimônio, outros temiam por represálias do pós-guerra, e alguns vislumbraram na região de Campinas, um terreno bom para as atividades agropecuárias etc.

O lado bom de chegar cedo na cidade, foi que pudemos descansar no hotel, e nos refrescar, visto que o calor estava insuportável.

Deu também para visitar a única loja de discos Rocker da cidade, no estilo das lojas da galeria do Rock, aqui de São Paulo e cujo dono, tanto o Junior quanto eu, conhecíamos desde os anos 80. Aliás, visitar lojas em cidades interioranas, ou mesmo em capitais que visitaríamos, tornar-se-ia uma praxe nessas turnês.

Verificamos também que uma matéria foi publicada no jornal local. 

Dividimos a mesma página com a dupla sertaneja "Christian & Ralf", e essa dinâmica de imprensa também nos acompanharia doravante, com muitas matérias em jornais interioranos e muitas delas em companhias não tão ilustres...

A casa onde tocaríamos, merece uma análise mais pormenorizada... 


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário