terça-feira, 29 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 162 - Por Luiz Domingues


Quando chegamos para fazer o show, a casa estava abarrotada, com uma multidão tentando entrar e sem conseguir seu intento, de tão absurdamente cheio que estava. 

Para a comitiva da banda poder entrar, foi preciso acionar a tal porta de emergência que ficava atrás do palco, e fazer uma ginástica incrível para passar naquele aperto, saindo pelo outro lado. Não havia outro local para ficarmos aguardando o nosso show, a não ser o mezanino minúsculo onde ficava a mesa do P.A. e para lá fomos, com bastante dificuldade para atravessar o mar de pessoas que existia entre nós.

Assistimos então a parte final do show do Sabbra Cadabra, cujo vocalista se esmerava para imitar os trejeitos do Ozzy Osbourne, com fidedignidade, incluso o figurino especialmente confeccionado como imitação do que o vocalista original do Black Sabbath usava na capa do LP Volume 4.

Não costumo apoiar bandas cover, mas reconheço seu esforço em fazer jus à banda que homenageavam e os meninos gaúchos desse quarteto tributo eram bons músicos, principalmente o Luciano Reis que demonstrou ter um talento como guitarrista.

A plateia era rocker, dava para sentir no calor do show da banda de abertura, e obviamente pelo visual da maioria, com tantos cabeludos à la anos setenta. 


Quando encerrou-se o show de abertura, nosso roadie se contorcia para arrumar o palco minúsculo e abarrotado, e dava para sentir a temperatura subir, motivada pela ansiedade. Nem havíamos subido ao palco e já dava para sentir a expectativa do público, denotando que teríamos um show quente do começo ao final.

Quisera termos tido essa dinâmica todo dia, mas shows assim, à moda antiga das mais belas tradições do Rock, eram raros. 


Nos resignávamos por fazer shows para plateias desinteressadas, mas como era bom termos um público rocker de verdade, que gostava de nós, conhecia a nossa história e repertório...

Bem, divagações à parte, chegou a hora...quando subimos ao palco do "BR-3"...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário