segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 26 - Por Luiz Domingues

Inicialmente o foco foi a MTV, mesmo porque ao dar entrada na emissora, o Xando teve que preencher uma ficha comprometendo-se a não veicular o clip em outra emissora num prazo de trinta dias. Com isso, ficamos esperando a confirmação da data de estreia para só depois tentar outros espaços televisivos. Trinta dias a partir da primeira exibição...

Isso era um atraso para a banda, pois amarrava nossas possibilidades de ir espalhando-o, sem a certeza de que seria exibido ali com a constância que desejávamos. Estávamos à mercê dessa emissora, com essa cláusula absurda de exclusividade e sem contrapartida, pois não havia garantia alguma de que exibissem o nosso vídeo clip...
Eu não sei exatamente quais seriam as sanções. Quero crer que no máximo, reservar-se-iam ao direito de não exibir mais o nosso clip.
Isso por si só, já seria um absurdo, numa manifestação terrível de arrogância, mas diante dos fatos, tornou-se uma verdadeira piada de mau gosto, conforme relatarei a seguir...
Então a MTV sinalizou em seu site que o nosso vídeo estrearia no dia 1° de agosto de 2005, no horário de 14:00 h. Ficamos animados, claro. Ainda não tínhamos o CD pronto, mas certamente um belo clip produzido em película de cinema e com uma música empolgante, dar-nos-ia uma repercussão inicial excelente, preparando o terreno para o lançamento do CD.
No dia dessa estreia, haveria ensaio do Pedra, pois era uma segunda-feira, dia que ensaiávamos normalmente. Por conta disso, eu cheguei um pouco mais tarde, para poder gravar a nossa participação na MTV, ainda usando a velha fita VHS...
Quando o nosso clip começou a aparecer, vi que o volume estava baixíssimo. Descartado algum problema técnico com o meu monitor de TV, eu chateei-me, pois era inadmissível um clip ser veiculado com um áudio desses, praticamente sabotando a aparição da banda.
Em princípio, fiquei muito chateado, pois na somatória da minha carreira inteira, já longa naquela altura, não era a primeira vez que uma chance escapulia-me pelos dedos por um erro crasso ou sabotagem.
Fui para o ensaio chateado com essa ocorrência, pensando em tantas vezes que eu fui prejudicado na carreira com coisas semelhantes, e agora mais uma para a coleção de infortúnios...
Contudo, assim que cheguei ao estúdio Overdrive, o clima era outro. Meus colegas estavam comemorando efusivamente a estreia, com taças de vinho etc etc.
Achei estranho que o fato do áudio do clip ter sido muito prejudicado na exibição da TV, não os tenha incomodado. Talvez (provavelmente isso), relevaram o fato, achando que a seguir bastaria levar outra cópia com o áudio corrigido e tudo bem, ele continuaria sendo exibido com sua qualidade máxima etc e tal.
O Xando chegou a comentar comigo que já havia ligado para o Renato Carneiro, e ambos haviam combinado promover essa correção técnica numa nova cópia, com urgência. Todavia, internamente eu sabia que não haveria outra chance na MTV, pois eram outros tempos, e todo o esforço para produzir e lançar o clip, praticamente esvaíra-se ali. E não deu outra... soubemos que ele passou mais uma vez na madrugada daquele mesmo dia (e com aquele áudio defeituoso), e nunca mais...
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário