sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 118 - Por Luiz Domingues


Nesses termos, a Sarah teve que nos comunicar essa repentina decisão da produção e assim, sem muitos meios de fazer impor a nossa determinação em usar a data só para nós, nos acostumamos com a ideia do compartilhamento.

É o tal negócio : tem um prato de comida para duas pessoas, prefere dividir ou abre mão da sua "metade" ?

O lado bom disso é que o artista com o qual compartilharíamos a data e o palco, seria necessariamente um "dinossauro" setentista, o que era um alívio, pois poderia ser pior se inventassem de nós dividirmos a noite com uma banda daquelas modernosas do início dos anos 2000, onde predominavam os trogloditas de bermudas, o que chega a ser curiosa a denominação pejorativa de "dinossauro" para designar artistas oriundos das décadas de 60 e 70, pois homens das cavernas eram na verdade aqueles trogloditas, enfim...

Então, numa rápida reunião interna da banda, pensamos nas hipóteses óbvias do Made in Brazil; Tutti-Frutti, e O Terço como opções setentistas que estavam na ativa naquele momento. Mas uma quarta sugestão pareceu-nos interessante naquele instante, para dar uma diferenciada, visto que já tínhamos tocado com o Tutti-Frutti e o Made in Brazil num passado bem recente, e O Terço parecia um pouco inacessível naquele instante.

Lembramos que o Sergio Dias estava se mudando de volta para São Paulo, após muitos anos fora do Brasil e também depois de uma temporada longa na Serra das Araras, na fronteira tríplice entre Rio, Minas e SP. Quando nos encontramos com ele em março de 2001 nos bastidores do programa Miguel Vaccaro Netto, ele havia nos falado que preparava sua mudança definitiva para viver em SP novamente e que iria articular-se para fazer shows promovendo o seu novo CD solo, que estava recém lançado, chamado "Estação da Luz".

Era isso  !

Patrulha do Espaço & Sergio Dias seria sensacional nessa época, em que fazia muito tempo que ele não fazia shows no Brasil e talvez não soubesse com a concreta dimensão, mas havia toda uma nova geração de jovens que curtiam Mutantes, numa onda Neo-Hippie e que certamente que lotaria o Sesc Pompeia, com possibilidade forte de deixar gente do lado de fora, sem ingresso.

Fora que a Patrulha do espaço com a proposta do CD Chronophagia, cairia como uma luva no evento, e dessa forma, mandamos essa devolutiva para a Sarah.

Ela adorou a ideia e se prontificou a correr atrás do projeto. Imediatamente o Junior forneceu o contato do Sergio para ela, e a abordagem foi feita.

Mas, a reação dele não foi a que esperávamos, infelizmente... 

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário