terça-feira, 18 de agosto de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 30 - Por Luiz Domingues


O contato com o produtor que sinalizara ter interessado-se em produzir um LP dessa banda, havia esfriado desde o final de 1988.

Na verdade, seu interesse prosseguia, mas dificuldades financeiras alheias à sua vontade estavam protelando o fechamento do acordo, e consequente início dessa produção, concretamente falando.

Mais ou menos em março de 1989, ele voltou a nos dar perspectiva de que estava sanando suas dificuldades financeiras e que em breve, liberaria verba para darmos início à essa produção.

Bem, hora de revelar quem ele era : o dono de uma loja na Galeria do Rock, chamada "Devils Discos", que apesar desse nome, não era necessariamente uma loja focada no mundo do Heavy-Metal.

Esse rapaz conhecido como Chicão (Francisco Domingos Souza), na verdade tinha postura anacrônica aos anos oitenta, pois mais parecia um hippie sessenta-setentista, fã que era de música Folk latinoamericana e acústica, nos moldes de bandas como o "Tarancón", especializada por tais tradições Folk de diversos países sulamericanos, principalmente.

Portanto, chegava a ser exótico um rapaz com esse gosto musical se interessar pelo Hard-Rock cheio de virtuosismos que nossa banda fazia nessa época.

Muito gentil, calmo e educado, tinha uma postura Hippie, muito mais próxima das minhas raízes contraculturais, mas em relação àquela banda e seus outros membros, mostrava-se quase antagônica.

Enfim, seu interesse nem era pela música em si, mas por ter vislumbrado uma oportunidade de investimento, já que curtindo ou não aquela estética, como homem de negócios, sabia que aquela escola estilística oitentista era uma onda que muita gente curtia e que portanto, poderia dar impulso aos seus planos de fazer seu selo crescer.

Claro que era muito legal ter alguém interessado em investir e de fato, mesmo demorando mais alguns meses para isso ser formalizado e se materializado, uma coisa tem de ser salientada : sua postura como produtor seria e foi, perfeita, do começo ao fim do processo.

De minha parte, só lastimo que ele tenha me conhecido num mau momento pessoal meu, onde deve ter ficado com a impressão de eu ser um músico / artista sem grande entusiasmo por aquele trabalho. Isso, infelizmente estava acima das minhas forças naquele instante.

Todavia, sabia na época e ainda mais hoje em dia, que seu esforço para "fazer acontecer" aquele LP, foi notável.


Continua...   

Nenhum comentário:

Postar um comentário