terça-feira, 18 de agosto de 2015

Autobiografia na Música - A Chave / The Key - Capítulo 29 - Por Luiz Domingues

Lista dos melhores do ano de 1988, segundo a opinião dos leitores da Revista Rock Brigade, publicada logo na primeira edição de 1989, com três componentes de nossa banda, bem cotados nesse ranking 

O primeiro show de 1989, foi uma oportunidade boa, não resta dúvida.

Fomos escalados para dividir uma noite com o Golpe de Estado, na casa de shows Dama Xoc, que tinha uma representatividade forte na cidade de São Paulo naquela altura.  
Como já observei em capítulos anteriores, tratava-se de uma casa que era simpática aos artistas de pequeno e médio porte, mas isso não significava ser tarefa fácil agendar uma data ali.

Portanto, quando surgia uma oportunidade dessas, claro que a agarrávamos.  

Nesse dia em específico, a situação era bem clara : nós éramos uma banda derivada de uma banda que tivera tradição nos anos oitenta, mas na verdade, éramos uma banda "'zerada" em termos de status naquele instante. O Golpe de Estado surgira bem depois da Chave do Sol no cenário do Rock Paulista e brasileiro, mas agora, A Chave era uma outra banda, e não poderia usufruir do status alcançado pela banda extinta. 

Então, moralmente falando, era óbvio que o Golpe de Estado havia adquirido um patamar de direito maior que o que essa nova banda tinha, e daí o direito de tocar como headliner.  
"Heavy-Metal" com A Chave e Golpe de Estado ??? Esses jornalistas...


Isso era inquestionável, mas daí a reivindicar uma porcentagem maior de bilheteria, após o show estar acertado com valores iguais entre as bandas, e que foi uma hipótese que foi ventilada subitamente no camarim, gerou um clima tenso e desnecessário, visto que éramos amigos de longa data, há muitos anos.

Fiquei chateado com essa conversa súbita, mas logo isso foi sanado e o combinado prevaleceu, com as duas bandas dividindo fraternalmente a féria dessa bilheteria, e que foi boa, com cerca de mil pagantes presentes no Dama Xoc.

A se registrar, foi o último show com grande público que essa banda faria, pois daí em diante, até a minha saída, alguns meses depois, só faríamos poucos espetáculos com público bem menor.


"Sweet Surrender", uma música inédita, e que não entrou no repertório do disco que gravaríamos ainda em 1989, ao vivo nesse show do Dama Xoc, que estou mencionando. Acervo de Nelson Junior

Eis o Link para ver no You Tube : 

https://www.youtube.com/watch?v=pn33sfyekX4

 
"The Winds Blows Chill and Cold", também inédita e que não entrou no disco "A New Revolution", em versão ao vivo no Dama Xoc, no mesmo dia. Acervo de Nelson Junior.

Eis o Link para assistir no You Tube :

https://www.youtube.com/watch?v=igx2NjZOaRU



Na prática, era o mesmo show de sempre, e o meu ânimo cada vez menor para continuar participando daquele trabalho e de sua sonoridade que não apreciava.

O público, alheio às minhas insatisfações pessoais, estava bem animado e claro que dei o meu melhor, mesmo contrariado, em respeito à eles e aos companheiros, mas aumentava em progressão geométrica a minha vontade de deixar tal trabalho, e buscar um novo rumo na minha carreira e de fato, foi questão de poucos meses para que isso se concretizasse.

O show no Dama Xoc, dividido com o Golpe de Estado, aconteceu em 19 de fevereiro de 1989, com cerca de mil pessoas nas dependências dessa casa de shows.
Resenha desse show com o Golpe de Estado no Dama Xoc em fevereiro de 1989, na Revista Rock Brigade


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário