quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 24 - Por Luiz Domingues


Encerradas as filmagens, ficamos na expectativa do prosseguimento das finalizações. O objetivo inicial era a revelação do filme, visto termos filmado em película de cinema, na medida de 16 mm.

Por sugestão do Xocante, a revelação, telecinagem e edição, foram feitas no Casablanca, um estúdio renomado em São Paulo.
Eduardo Xocante com a câmera na mão; no canto direito, o diretor de fotografia, Aníbal

O Xando foi o primeiro a ver o primeiro "copião" bruto revelado. O Xocante entrou em contato com ele e pediu para que ele desse uma olhada nessa etapa.

Lembro-me bem da reação entusiasmada do Xando, que prontamente me ligou. Estava eufórico por ter visto o copião revelado numa tela de alta definição. E claro, após os demais processos técnicos, a tendência era a do clip ficar maravilhoso visualmente.

No processo de edição, o Xocante novamente nos convidou a irmos lá no Casablanca, acompanharmos o trabalho de edição.
Vivi Marques e eu, Luiz Domingues, em foto no camarim do Cine Vídeo, no dia da filmagem

Cautelosa, a coprodutora Vivi Marques pediu para não ir a banda inteira. Eu diria que era prudente em primeira instância, para evitar atrapalharmos a concentração do Xocante à ilha de edição. Contudo, era uma cautela excessiva, pois não éramos adolescentes imberbes no recreio da escola...

Acabou que fomos em trio, eu, Xando e Rodrigo. Ficamos muito animados vendo o trabalho de edição e a qualidade que o clip estava ganhando na edição final.

E lá no Casablanca, o Xocante havia mostrado o copião à uma pessoa que tinha contatos no mundo fonográfico.

Essa mulher ficou eufórica com o som e nos abordou dizendo que gostaria de nos apresentar ao Thomas Roth que era seu amigo pessoal e tinha um selo, onde muito provavelmente poderíamos lançar o nosso primeiro CD.

Essa sensação de que as portas começavam a se abrir era deliciosa, mas experientes, não mudamos os nossos planos e seguimos em frente sem euforias desmesuradas.

O clip ficou de fato, maravilhoso. Com uma bela fotografia e uma edição muito caprichada, apesar de ter um roteiro simples, com apenas imagens da banda tocando e poucas inserções extras, o resultado final ficou muito bom.

Considerando que dependíamos da agenda do Casablanca e do Xocante, demorou cerca de vinte dias, mais ou menos para termos o clip finalizado e pronto para ser encaminhado às estações de TV.

Uma pequena falha na inserção do áudio, nos pregaria uma peça, conforme relatarei a seguir.

Todas as fotos de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário