quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 104 - Por Luiz Domingues

Tal casa estava, timidamente eu diria, tentando voltar a ser uma casa de shows, visto que há anos estava conformada em ser um clube de dança para idosos. Nada contra tal atividade para o pessoal da terceira idade, mas era mesmo um desperdício que uma casa tão bem localizada e com estrutura de som; luz; cenotécnica, e camarins, não fosse um espaço de shows.

Contudo, apesar dessas instalações, o aspecto interno da casa era decadente. Por conta de estar há tantos anos sediando bailes, sua decoração era "kitsch", de muito mau gosto. Quando entrei, senti-me no set do programa "Clube dos Artistas", da TV Tupi nos anos setenta. Era de uma "cafonália" a toda prova...
O evento certamente era um balão de ensaio promovido para testar a ideia daquela casa voltar a ser um espaço de shows e na verdade, tratava-se de um show do Golpe de Estado, que convidou-nos para dividir a noite. Naquela noite tive uma surpresa agradável, assim que estacionei o meu carro, pois avistei o iluminador Wagner Molina, que havia conhecido em 1999, por intermédio do Rolando Castello Junior e dali em diante, o Molina iluminara vários shows da Patrulha do Espaço, quando de minha participação na banda.
                       O super iluminador, Wagner Molina

Foi quando Molina revelou-me que havia recém refeito contato com a esposa do Xando, Grace Lagôa, na Rede Social Orkut, visto que há anos não conversavam e eram conhecidos desde os anos setenta. Só fiquei chateado por vê-lo com uma bengala e com dificuldades de locomoção, e ele contou-nos que fora vítima de um ataque cardíaco e agora estava com sequelas temporárias que esperava sanar com o tempo.
Mesmo assim, com dificuldades nítidas de locomoção, ofereceu-se para operar a iluminação no show, e claro que aceitamos, pois Molina é um dos maiores iluminadores do Brasil, com um curriculum gigantesco de trabalhos prestados à artistas peso-pesado da música, fora sua atuação na TV, em novelas e programas de variedades / jornalísticos. Feita a passagem de som, recolhemo-nos ao camarim para a espera do show. Claro, o convívio com o pessoal do Golpe de Estado sempre foi agradável e ali passamos bons momentos conversando e rindo, nem sentindo o tempo passar...

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário